Meditação de Pôr do Sol 08/11/2019 por Ernesto Bussacarini
08/11/2019
Novo Encontro (Domingo 10/11/2019 às 20h00)
09/11/2019

Meditação diária de 09/11/2019 por Flávio Reti – Holger Klaus Meins

09 de novembro

Mateus 5:12  “Alegrai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus…”

Holger Klaus Meins

Vez ou outra se ouve falar de alguém fazendo greve de fome. Vários presos, às vezes grupos deles, que lançam mão da greve de fome como seu último recurso. Às vezes conseguem reverter a sentença, mas na maioria das vezes as que levaram até o fim a greve de fome acabaram morrendo mesmo de fome, de fraqueza e de inanição. Nós achamos que greve de fome só se faz nas penitenciárias do Brasil, mas não, pessoas do mundo inteiro lançam mão dessa tentativa de recurso e se dão mal. Aqui temos um jovem alemão, Holger Klaus Meins, que era um dos integrantes de uma organização criminosa de extrema esquerda alemã, um braço do falado exército vermelho, lá na Alemanha conhecido como Baader-Meinhof que aparecia nos jornais com a sigla RAF (Rote Armee Fraktion em alemão). Holger não era um João-Ninguém, era um estudante de cinema de classe média alta. Ele foi apenas mais um que morreu depois de uma greve de fome na prisão, em 1974, enquanto achava que isso faria pressão sobre as autoridades e ele seria solto, puro engano. Ele acabou sendo um dos líderes do grupo comandando as ações do grupo sempre envolvido em atentados. Ele se destacou ao criar uma espécie de bolsa imitando a barriga de uma grávida muito eficiente para carregar bombas e explosivos que eram plantados em locais previamente estudados para promover a maior eficiência de estrago possível. Ele e alguns outros líderes da organização foram presos em 1972 numa garagem de Hamburgo e metidos na cadeia. Lá tentou reverter a situação recorrendo à greve de fome, mas acabou morrendo, nesse dia 9 de novembro de 1974, pesando apenas 39 quilos, mesmo tendo 1,86 metros de altura. Sua morte desencadeou uma série de protestos em várias cidades alemãs, Frankfurt, Colônia, Berlim, Stuttgart, contra as condições a que eram submetidos os integrantes da Organização Criminosa RAF na tentativa de obrigar o governo a mudar o tratamento dos presos. No dia seguinte à sua morte, um juiz da Suprema corte de Justiça, Von Drenkmann, foi assassinado como resposta da Organização. Isso tudo criou na Alemanha dois polos de crítica vinda dos simpatizantes de um lado pedindo para endurecer com os terroristas por causa da morte do Juiz, o outro lado pedindo que tratasse com menos rigor os presos da RAF e acusando o governo de responsável e omisso na morte de Holger Klaus Meins e outros terroristas presos. Seis meses depois desse incidente, o mesmo comando do mesmo grupo terrorista invadiu e tomou de assalto a embaixada alemã em Estokolmo, na Suécia.

Os adventistas são, com frequência, acusados de estarem aterrorizando o mundo, sempre que falam sobre o livro do apocalipse, quando comentam suas profecias falando do fim do mundo e dos acontecimentos que se seguirão com a proximidade do fim. Somos taxados de alarmistas, terroristas, pela simples tentativa de elucidar as profecias do livro. Mas, quer aceitem ou não, quer entendam ou não, não depende da nossa ignorância nem da nossa erudição, o que Deus delineou e prescreveu para este mundo virá a acontecer e ninguém poderá evitar. Com a proximidade da volta de Jesus o mundo deverá estar vivendo dias difíceis e nossa única salvaguarda não será greve de fome, será confiança no poder de Deus e certeza da volta de Jesus para pôr fim ao pecado e dar início à vida eterna no seu reino de amor. Nossa ideologia é bem diferente de terrorismo do Baader-Meinhof da Alemanha.

Os comentários estão encerrados.