Meditação diária de 08/02/2020 por Flávio Reti – Bebidas em pó
08/02/2020
Meditação diária de 10/02/2020 por Flávio Reti – A Bicicleta
10/02/2020

Meditação diária de 09/02/2020 por Flávio Reti – A Betoneira

09 de fevereiro

Deuteronômio 11:26  “Vede que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição”

A Betoneira

Para quem está inserido na área da construção civil não existe novidade para conhecer numa betoneira que nada mais é do que um misturador dos materiais que compõem o concreto (água, pedra, cimento, areia, secante, impermeabilizante) e também os materiais da argamassa para reboco (areia, cal, cimento, impermeabilizante). E se você pensa que só é usada nas construções, pode se chocar agora, porque ela é muito usada para misturar adubo nas fazendas, para misturar os elementos que compõem a ração animal, na mistura dos resíduos plásticos triturados para reciclagem e assim a betoneira vai ganhando espaço. Até nas penitenciarias para preparar sopas e bebidas dos milhares de detentos que se fosse feito manualmente seria quase impossível. Ela só não faz aplicar o concreto, para isso o pedreiro é imprescindível. Mas a função básica da betoneira é de um misturador. Você sabe, o concreto era feito à mão, com um funcionário removendo tudo com uma enxada e suando em cima daquilo porque é um trabalho pesado. Mas eis que, numa história bem recente do século passado, alguém tentou fazer um misturador semelhante aos engenhos de cana, semelhante também àquelas pipas de amassar o barro nas olarias. Bastava montar uma dessas moendas ou pipas perto da construção e pronto. Mesmo assim era difícil porque eram movidas com cavalos e burros e em 1916, pela primeira vez, um americano chamado Stephen Sepanian inventou a primeira betoneira motorizada que nem era elétrica, era com motor a gasolina. A betoneira motorizada agradou tanto que logo foi eletrificada e logo mais montada em cima de caminhões que não perdem tempo, porque vão girando a betoneira enquanto se deslocam até a obra e ao chegar lá o concreto está homogeneizado, é só aplicar no local devido. Se uma betoneira revolvia um metro cúbico de concreto, um caminhão betoneira revolve até 15 metros cúbicos de concreto. Após um século da sua invenção, a betoneira é hoje uma ferramenta essencial na construção civil agilizando a construção, facilitando a mão de obra e aliviando o trabalho dos peões da construção. Ao pensar em betoneira, eu penso em utilidade e me reporto às pessoas que podem ser muito úteis aos demais como podem também ser um peso a mais para os outros colegas. Um dia fatalmente vamos envelhecer e olhar para trás. Ao assim fazer, que lembrança vamos ter na nossa participação na sociedade onde vivemos nossos dias? Fomos úteis ou fomos um peso morto difícil de carregar. Será muito triste se olharmos para trás e comprovarmos que vivemos inutilmente, nossa passagem pela vida em nada ajudou. Nossa falta não vai ser sentida, aliás pode até ser aplaudida a nossa ausência. Quão profundas as palavras de Deus a Abraão quando o chamou da terra de Ur dos caldeus para a terra de Canaã: “Sê tu uma bênção!” (Gen.12:2).

Os comentários estão encerrados.