Meditação diária de 07/06/2017 por Flávio Reti
07/06/2017
Comentários da Lição 10 (2o Trim/2017) por Flávio Reti
08/06/2017

Meditação diária de 08/06/2017 por Flávio Reti

Dia mundial dos oceanos

Apocalipse 21:1    “E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra e o mar já não existe”

Os oceanos têm uma grande importância ao regular o equilíbrio da vida na terra. Não é propaganda barata, é um movimento de conscientização lembrar os perigos que os oceanos estão enfrentando. Os oceanos que sempre representaram perigo, agora eles é que correm perigo. É necessária uma conscientização civil de todos os povos, afinal, todos se servem dos oceanos, mesmo que não sejam banhados por um oceano. Dois terços da superfície da terra é formado pelos oceanos e eles exercem um papel regulador do clima no planeta. O que fazer, então, para diminuir os impactos que as atividades humanas estão acarretando sobre os oceanos?  População, governos, entidades, Ongs devem ser despertados para criar medidas de proteção. Em 2016, o tema escolhido foi “Oceanos Saudáveis, planeta saudável” e repassado para o mundo em Inglês (Healthy oceans, healthy planet). Desde o grande derramamento de petróleo no golfo do México pela Companhia BP (Brittish Petroleum), a ONU passou a se preocupar mais com a saúde dos oceanos e na Conferência do Rio, em 1992, conhecida como Eco-92 – Cúpula da Terra, votou o dia 8 de junho como o dia mundial dos oceanos. O desastre deixado pela BP, no Golfo do México, nunca mais será esquecido porque só três meses depois da explosão que causou o vazamento, a empresa anunciou que o vazamento havia sido estancado. Uma quantidade de 3 a 4 milhões de barris de petróleo foram despejados no mar, onze pessoas mortas na explosão e milhares de animais marinhos atingidos. Pelicanos, golfinhos, peixes sem conta, aves de diversas espécies ao mergulharem em busca de alimento saiam com as penas encharcadas de petróleo e não conseguiam voar nem regular a temperatura do corpo e morriam em seguida com hipotermia. Este é apenas um desastre contra os oceanos. Presumo que você, lendo esse devocional, não tem noção do que é realmente poluição dos oceanos. Você saberia calcular quanto lixo sólido e poluentes são descartados nos mares e oceanos, fruto da atividade humana, dejetos oriundos dessas atividades. Material plástico, metais, vidros, madeira, são atirados ao mar sem qualquer constrangimento por pessoas sem escrúpulo que navegam em navios mercantes, quando não são jogados na praia. Nas nossas praias, já observou quantos esgotos são lançados ao mar levando dejetos domésticos e industrial?

O que ouviremos de Deus quando formos acusados de depauperar a terra que ele nos deu para vivermos nela? Na sua cabeça passa a preocupação que destruir a obra de Deus tem consequências imprevisíveis? E se Deus resolver destruir os que destroem a terra? Mesmo no final dos dias, Deus pede que não danifiquemos a terra e nem o mar (Apoc.7:3), afinal, a terra e o mar são do Senhor e não nossos e há uma denúncia de que virá o dia em que Deus vai destruir os que destroem a terra (Apoc.11:18).

Talvez não seja por isso, mas na nova terra João, o vidente de Patmos, não viu mar e nem oceano. O que ele diz que viu foi algo parecido com um mar de vidro. Se não vai haver oceano na nova terra, certamente será porque não vai ser necessário, e se existe oceano aqui, certamente é por que ele é necessário no momento. Nosso dever, para ser leais ao que Deus espera de nós, é cuidar bem dos mares e oceanos, afinal, eles regulam a vida na terra e são obras da criação de Deus. Se somos mordomos fieis, vamos cuidar! A vida nesta terra pede socorro!

Os comentários estão encerrados.