Meditação diária de 07/07/2019 por Flávio Reti – Edson Arantes do Nascimento
07/07/2019
Meditação diária de 09/07/2019 por Flávio Reti – Carlos Justiniano Ribeiro Chagas
09/07/2019

Meditação diária de 08/07/2019 por Flávio Reti – José Manuel Ramos Horta

08 de julho

Mateus 5:9  “Bem aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus”

José Manuel Ramos Horta

Há nomes de pessoas que nós do lado de cá, do lado Ocidental, nunca ficamos sabendo, assim como há nomes conhecidos nosso do lado de cá que os Orientais desconhecem. O nome de José Manuel Ramos Horta está ligado ao Timor Leste, um pequeno país oriental, mas povoado pelos Portugueses durante o período das grandes navegações, lá pelos anos 1500, mais ou menos na época do descobrimento do Brasil, mas que caiu na ocupação dos Indonésios entre 1975 e 1999, no final do mesmo ano em que se libertou de Portugal, caiu nas mãos dos Indonésios. As Nações Unidas patrocinaram a libertação do Timor e em 2002 ele foi declarado Estado Soberano membro das Nações Unidas e também membro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. José Manuel Ramos Horta foi seu primeiro presidente depois da libertação da Indonésia, enquanto Xanana Gusmão foi o primeiro presidente após a libertação de Portugal, porque já era o homem forte da resistência do Timor no exílio, enquanto a Indonésia ocupava o território timorense. Seu pai era Português e sua mãe Timorense e foi educado numa Missão Católica. Em 1996, um ano depois do Timor ser ocupado pelos indonésios, ele foi agraciado com o Nobel da Paz, aliás sua formação acadêmica foi em Estudos sobre a Paz, do Direito Internacional da Paz. Como a Indonésia tem o maior contingente de islâmicos do mundo e apoiava a invasão do Timor, José Ramos Horta foi contra o islamismo e apoiou inclusive o Governo Americano contra na invasão do Iraque. Em 2007 ele voltou a ser presidente do Timor sucedendo Xanana Gusmão. Mas, como tudo tem um mas no meio do caminho, em 2008 ele foi atingido por uma disparo no estômago enquanto terroristas atacavam sua casa liderados pelo seu opositor político.

Ele foi o primeiro presidente e acabou assassinado, Ele foi Nobel da Paz e morreu atingido pela guerra de interesses, logo, pelo que se vê nada conta ser o primeiro. De que lhe valeu ter sido o primeiro presidente e acabar morto por adversários políticos? Vivemos em um mundo onde os interesses particulares de um ou vários políticos falam mais alto do que os interesses de uma nação toda. Esse mundo, como dizem os americanos, “is up side down” (está de ponta cabeça) e não há líder que possa pô-lo de pé novamente e por isso ele vai de “mal a pior” (II Tim.3:13). Decididamente, esse mundo não é mais um lugar bom para se viver, precisamos urgentemente ser tirados daqui, mas quem seria o super líder para fazer isso? Nossa bíblia aponta Jesus Cristo como o todo poderoso filho de Deus com a missão de salvar os limpos de coração, os que têm fome e sede de justiça (Mat.5:6-8). O mundo tem jeito, mas não será pelas mãos dos homens, e sim pela poderosa mão de nosso Deus na segunda vinda de Jesus nas nuvens do céu com poder e grande glória. É uma questão de estar preparados e aguardar o dia da nossa redenção que está mais próxima do que muitos imaginam.

Os comentários estão encerrados.