32° Encontro de Ex-alunos
06/06/2017
Meditação diária de 08/06/2017 por Flávio Reti
08/06/2017

Meditação diária de 07/06/2017 por Flávio Reti

Dia da Liberdade de Imprensa

II Coríntios 3:17   “Ora, o Senhor é o Espírito e onde está o espírito do Senhor, aí há liberdade”

O que você entende por Liberdade de Imprensa? Segundo a definição clássica é a possibilidade de um indivíduo publicar e ter acesso à informação impressa através dos meios de comunicação de massa sem a intromissão do Estado. A liberdade, em qualquer que seja a área, é um dos pilares da democracia, mas a liberdade de imprensa é a que proporciona a possibilidade de todos terem o direito à informação. Ao longo da história, aqui e ali, sempre se percebe a interferência do Estado na divulgação das informações e das ideias do povo e isso pode tolher a capacidade da pessoa formar adequadamente sua opinião, seu pensamento social. A suprema importância da liberdade de imprensa está no fato da sociedade poder conhecer e se defender de qualquer arbitrariedade que possam provir da governança do país. Uma democracia forte pressupõe liberdade de culto, de consciência e de imprensa, igualmente.

Em 2002 o jornalista Tim Lopes foi assassinado por traficantes quando fazia uma reportagem investigativa no Complexo do Alemão, no rio de Janeiro. A morte do jornalista balançou a liberdade da imprensa brasileira exatamente porque foi ordenada pelo líder de uma facção criminosa, um sujeito conhecido por Elias Maluco.

No Brasil, a liberdade de Imprensa sempre flutuou pendendo para um lado ou para o outro. Houve restrição à imprensa na ditadura do Presidente Vargas com um departamento que filtrava o que era ou não era permitido divulgar. Depois, em 1964, com o golpe militar, o regime emitiu vários “atos Institucionais” suspendendo o Congresso Brasileiro, suprimindo as liberdades individuais, dando total liberdade para o exército brasileiro prender pessoas consideradas suspeitas (nem precisava ser, bastava ser suspeita) de qualquer revisão judicial. O governo militar criou o que ficou conhecido como o AI-5 (Ato institucional n.5) vetando todas as formas de expressão: imprensa, música, teatro, cinema, igrejas. Foram dez anos de pesada censura, de tortura, de prisões, de represálias e mortes. Foi o último degrau da arbitrariedade.

Quanta diferença quando paramos para analisar a liberdade que Deus nos dá. Ele bem que poderia criar pessoas autômatas, sem a possibilidade de errar, mas, pelo seu caráter de amor personificado, ele nos fez livres para pensar e agir. Ele correu o risco ao criar o homem à sua semelhança (Gen.1:26). Ainda hoje o homem é livre para pensar e agir, dispõe do livre arbítrio, ele pode amar a Deus ou deixar de amá-lo, pode odiar a Deus ou deixar de odiar. Os homens não têm noção do que é a verdadeira liberdade. A perda da liberdade começou com satanás. “Satanás recusou-se a ouvir. Apartou-se então dos anjos leais e sinceros, acusando-os de servilismo. Esses anjos, fiéis a Deus, assombraram-se ao ver o êxito de Satanás em promover a rebelião. Ele prometeu-lhes um novo governo, melhor do que aquele que até então haviam conhecido, no qual tudo seria liberdade. Um grande número dos anjos revelou sua disposição em aceitar Satanás como líder e comandante-chefe. Ao perceber ele que suas propostas alcançavam sucesso, gabou-se de que chegaria a ter a seu lado todos os anjos, tornando-se igual ao próprio Deus, e que sua voz de autoridade seria ouvida em comando a todo o exército do Céu” (A verdade sobre os anjos, p.39).

Precisamos ser cuidadosos ao querer a liberdade, porque liberdade sempre pressupõe responsabilidade. Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém” (I Cor.6:12). Obediência a Deus é liberdade do cativeiro do pecado, livramento das paixões e impulsos humanos. O homem pode ser vencedor de si mesmo, vencedor de suas inclinações, vencedor dos principados e potestades, e dos “príncipes das trevas deste século”, e das “hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (Efés. 6:12). Liberdade ainda é um atributo divino, felizes os que vivem em liberdade e ai daqueles que vivem em países fechados, tiranos, impositores, que tolhem a liberdade de adorar a Deus.

Os comentários estão encerrados.