Comentários da Lição 10 (1o Trim/2020)
06/03/2020
Meditação diária de 08/03/2020 por Flávio Reti – Capacete
08/03/2020

Meditação diária de 07/03/2020 por Flávio Reti – Canivete Suíço

07 de março

Mateus 25:30  “Lançai o servo inútil nas trevas exteriores e ali haverá choro e ranger de dentes”

Canivete Suíço

O canivete suíço foi inventado por um cuteleiro de nome Karl Elsener, realmente suíço. Um cuteleiro é o profissional que trabalha criando utensílios de corte, tais como espadas, facas, punhais, navalhas, adagas, foices e machados e seu gênio inventivo só depende dele mesmo. A cutelaria ainda hoje é uma atividade exercida como obra de arte e concorre a prêmios internacionais pela criatividade, pela utilidade das peças criadas porque tudo é feito manualmente, uma vez que as máquinas não fazem com o esmero de um artesão e o canivete suíço foi uma dessas peças artesanais criadas em 1894. A invenção do canivete suíço nasceu de um pedido do exército suíço de um instrumento de corte que fosse leve, resistente e prático para seus soldados e se possível tivesse ainda outras utilidades além de simplesmente cortar. Antes de eu entrar em outros detalhes do canivete, devo dizer que já se criou canivete suíço com 33 funções, incluindo até bisturi, além de tesoura. O fabricante, que hoje se transformou numa empresa, a Vitorinox, já produziu canivetes com mais de 100 combinações de utilidades. Além da lâmina de corte, ele vai agregando outras peças com saca-rolhas que era para os soldados abrirem garrafas de vinho, sovela, chave de fenda, chave Philips, lixa, tesoura, aparador de unha e a Vitorinox foi criando canivetes multifunções para o estudante, para o camponês, para o soldado e foi criando até chegar a agregar 33 funções em um único canivete. O nome da marca Vitorinox foi dado depois que o aço inox foi descoberto, em 1921, pelos filhos do criador do dito canivete suíço. Depois do atentado às torres gêmeas nos Estados Unidos, as companhias aéreas proibiram o transporte de elementos cortantes na bagagem de mão e com isso caiu muito a compra e venda desses canivetes nos free shops dos aeroportos do mundo inteiro, mas eles podem ser comprados nas boas lojas de cutelaria. Enquanto escrevo eu vou pensando na palavra utilidade e vejo que em um simples canivete o inventor conseguiu reunir até 33 utilidades e percebo que existem pessoas que não tem uma utilidade qualquer, são aquelas que nós apelidamos de peso morto. Quando Deus chamou Abraão e lhe fez promessas, também lhe pediu que ele fosse uma bênção (Gên.12:2) e como seria ele uma bênção se não fosse de alguma maneira útil a sua comunidade, à sua sociedade, à sua família, de alguma maneira ele deveria ser útil. Entendo que será muito triste, ao chegarmos no fim da linha e olharmos para trás para ver que passamos pela vida e não deixamos nada de útil aos que nos substituírem. Eu não posso morrer com a sensação de que vivi inutilmente, que eu também fui um peso morto. Que Deus nos ajude a repensar nossa vida e reavaliar nossas pretensões de interesses.

Os comentários estão encerrados.