Curso para Noivos – 2º Semestre 2017
05/07/2017
Meditação diária de 07/07/2017 por Flávio Reti
07/07/2017

Meditação diária de 06/07/2017 por Flávio Reti

06 de julho

Dia da criação do IBGE

I Crônicas 21:2    “E disse Davi a Joabe e aos príncipes do povo: Ide e contai a Israel desde Berseba até Dã e trazei-me a conta, para que eu saiba o número deles”

Para quem ainda não sabe, o IBGE é uma fundação pública que pertence ao governo federal. Foi criada em 1936 com o nome de Instituto Nacional de Estatística. A utilidade do Instituto não se resume a fazer pesquisas e previsões políticas nas vésperas das eleições. Tem outro lado bom que é realizar estudos científicos e planejados para as definições de ações públicas para os próximos anos. O instituto levanta dados quantitativos e qualitativos sobre o território brasileiro e sobre a sua população. Sua missão é mostrar o Brasil como ele realmente é e dar conhecimento da realidade ao governo e ao povo brasileiro.

Normalmente o governo, tanto federal como estadual e municipal, só toma decisão em cima de dados oficiais para segurança dos investimentos públicos e para definição de políticas públicas. Uma das ações importantes do IBGE é a realização do Censo Demográfico a cada 10 anos. Cientistas, gestores públicos, estudantes, todos confiam nos dados do IBGE para realizar pesquisas, investimentos, estruturar planejamentos em todo o território nacional. O IBGE tem uma importância capital como auxiliar do governo e da população. Desde os tempos bíblicos, já era comum fazer alguma previsão e estatística, fazer o censo, para se situar em casos de guerra.

Segundo o verso de hoje, quando Davi mandou Joabe contar o povo, era uma incitação de satanás (I Crôn.21:1). Nas guerras de conquista, Israel sempre guerreava confiante do Deus de Israel, mas Davi demonstrou com essa ação desastrosa que desconfiava de Deus. Joabe foi e contou a população e trouxe os dados a Davi, eram um milhão e cem mil homens aptos para a guerra e só de Judá quatrocentos e setenta mil homens, segundo as palavras das escrituras, homens que arrancavam da espada. “Mas o negócio desagradou a Deus, pelo que ele feriu a Israel (v.7) e mesmo depois de Davi reconhecer seu erro, setenta mil homens morreram de uma peste que grassou pelo País (v.14).

Noutra ocasião, Deus mandou Gideão liderar o povo e lutar contra os Midianitas. Gideão reuniu o exército e rumou para a frente do conflito, mas Deus o interrompeu quando eles acamparam junto a uma fonte. Eram um total de 32.000 homens de guerra. O Senhor mandou gideão dizer a todos que se alguém fosse medroso que voltassem para casa. E voltaram 22.000 homens ficando apenas 10,000. Deus disse a Gideão que ainda era muito e que levasse o povo ao ribeiro para beber água e aquele que lambesse a água como um cão fosse separado e os que bebessem sofregamente fossem separados de outro lado. Os que lamberam como faz o cão foram apenas 300 homens. E Deus disse a Gideão, com esses trezentos que lamberam a água eu entregarei os midianitas nas tuas mãos e tal e qual aconteceu.

Como vemos, Deus não precisa de IBGE, nem de exércitos. Ele sabe como livrar o seu povo. Embora, às vezes, somos deixados a lutar sozinhos, ao invés de no meio de um exército, mas em realidade nunca estamos sozinhos. Há anjos ao nosso redor, mas depende de nós que tipo de anjos queremos na nossa companhia. Anjos da glória, que veem sempre a face do Pai do Céu, regozijam-se em servir aos Seus pequeninos. Os anjos estão sempre presentes onde são mais necessitados, junto àqueles que têm a combater as mais renhidas batalhas com o próprio eu, e cujo ambiente é o mais desanimador. Fracas e trementes almas que têm muitos objetáveis traços de caráter são seu especial encargo. Aquilo que corações egoístas considerariam como serviço humilhante – servir àqueles que se acham na miséria e são, em todos os aspectos, inferiores em caráter – eis a obra dos puros e santos seres das cortes do alto. Se você faz parte do povo de Deus, fique tranquilo, há um Deus no céu que cuida. Diz o hino “Deus sabe, Deus ouve, Deus vê”.

 

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.