Meditação diária de 05/05/2020 por Flávio Reti – Escorredor de arroz
05/05/2020
Culto de Oração – Hoje ao vivo / LIVE
06/05/2020

Meditação diária de 06/05/2020 por Flávio Reti – Escova de Dente

06 de maio

Mateus 23:25  “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque limpais o exterior do copo e do prato, mas por dentro estão cheios de rapina e de intemperança”

Escova de Dente

Quando se fala em higiene bucal, a primeira coisa que nos vem à mente é o uso de uma escova. A primeira coisa que o dentista lembra para as crianças na idade escolar é o uso da escova e como usá-la. Mas a escova deve ser utilizada associada a um bom creme dental para evitar bactérias promotoras das cáries e do mau hálito. Sempre após as refeições a mãe já grita de lá: Filho, já escovou os dentes? É porque a mãe tem uma preocupação maior com os dentes dos filhos, ainda mais na idade infantil, mesmo sabendo que logo vai substituí-los pelos dentes permanentes. O mercado já se antecipou a tudo isso oferecendo escovas automáticas, que fazem os movimentos necessários e corretos para uma boa limpeza e garantindo uma boa higienização bucal, mas a velha escova manual ainda não caiu de moda. A primeira escova dental da qual se tem notícia foi inventada na China, sabe quando? 1498, exatamente no ano que Cristóvão Colombo descobriu a América e sabe do que eram feitas suas cerdas? Incrível, mas eram de pelos de porco e logo depois com pelos de cavalo. Já as primeiras escovas encontradas na Europa, em escavações de um velho hospital da Alemanha, datam de 1700. Apesar de velha, ainda se pode ver os orifícios por onde eram introduzidos os pelos do cavalo. Só em 1938 uma empresa chamada DuPont criou as cerdas de nylon e deu sossego aos animais que sempre perdiam o rabo e a crina. Você deve estar pensando que a escova ideal deve ser aquela mais dura, que consegue arrancar resíduos impregnados, mas os dentistas são unânimes ao afirmar que a escova ideal são as mais macias e de cabeça menor para alcançar todas as partes da boca até o último molar. O mercado é farto em oferecer escovas das mais diversas empunhaduras e cremes dentais dos mais diversos sabores, mas parece que a preferência sempre foi o sabor menta. Estamos pensando em escovação com escovas boas, em cremes cheirosos e bactericidas, em limpeza dos dentes, certo? Mas e se eu lhe disser que a bíblia usa a expressão “limpeza de dentes” para prefigurar a fome? Difícil de entender? O profeta Amós, em uma de suas censuras ao povo de Israel, disse que Deus enviaria “limpeza de dentes” nas cidades deles e falta de pão em todos os lugares (Amós 4:6). Na maioria das vezes a nossa preocupação é uma, enquanto a preocupação de Deus é bem outra. Nos dias de Jesus, os fariseus limpavam o exterior do copo, para dar boa aparência exterior, mas o interior deles, dos fariseus, estava cheio de imundícias (Mat.23:25). Novamente eles com uma preocupação e Jesus com outra bem mais significativa. Nós aqui falando de escova, limpeza de dentes, e Jesus preocupado com nossa limpeza espiritual. E, de verdade, qual é mais importante?

Os comentários estão encerrados.