Meditação diária de 05/03/2020 por Flávio Reti – Caneta Esferográfica
05/03/2020
Comentários da Lição 10 (1o Trim/2020)
06/03/2020

Meditação diária de 06/03/2020 por Flávio Reti – Canga

06 de março

Mateus 11:30  “Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”

Canga

Não, eu não estou pensando em canga como o nome que se dá a um tipo de vestimenta própria para saída de praia. Estou pensando em canga como aquele jugo de madeira curvada que os camponeses colocam no pescoço dos bois para prendê-los ao carro de boi ou ao arado e força-los a trabalhar. É um artifício para utilizar a força dos bois para produzir o trabalho que o homem sozinho não consegue realizar. Quando Deus criou o homem e o pôs para lavrar e cuidar do Éden, Deus deu-lhe também a autoridade de subjugar e dominar sobre os animais (Gen.1:28). Adão, então, começou dando nomes a todos os animais recém criados (Gên.2:19-20), mas não deve ter esquecido de que a incumbência de subjugar e dominar todos os animais incluía domesticar e utilizar para algum fim imediato. O cachorro serviria para rondar a casa e evitar que outros animais se aproximassem, o cavalo serviria para montaria e puxar cargas, o boi para arar a terra e também puxar cargas mais pesadas que o cavalo não conseguia puxar. Mas houve momento que um boi sozinho também não conseguia, então, Adão deveria jungir dois bois juntos para somar as forças, mas como fazer isso? Inteligência ele certamente tinha, e não foi difícil inventar uma canga com canzis para separar um boi do outro e fazê-los aceitar aquele estrupício no pescoço. Desde aquele tempo até hoje o uso de canga para subjugar bois no carro e nos instrumentos agrícolas vem sendo usado no mundo com muita eficiência e com bons resultados pra quem ainda não dispõe de um trator. Não tenho dúvida de que o inventor da canga foi Adão, porque ele deveria lavrar a terra e com as mãos unicamente seria impossível, logo, a invenção da canga foi uma das mais antigas invenções neste mundo. A palavra canga é uma palavra mais caipira, e modernamente é preferível dizer jugo que acaba sendo a mesma coisa, de onde nós temos a palavra subjugar, colocar jugo, sinônimo de dominar. Bem, tomando a palavra jugo como símbolo de submissão, podemos afirmar que há jugos que não podemos aceitar e há outros que devemos aceitar. A bíblia nos diz que “é bom para o homem suportar o jugo da sua mocidade” (Lam.3:27), diz também para tomar o jugo de Cristo (Mat.11:29) porque ele é suave. Mas diz enfaticamente que não devemos “nos prender a um jugo desigual” (II Cor.6:14). Paulo aconselha a todos os servos “que estão debaixo do jugo de seus senhores que os tratem com honradez, para que o nome de Deus não seja blasfemado” (I Tim.6:1). Logo, o uso de um jugo não é de todo mal, muitas vezes tem sua razão de existir.

Os comentários estão encerrados.