Culto de Oração – Hoje às 19h
03/06/2020
Sábado Especial Ex-Alunos 06/06
04/06/2020

Meditação diária de 04/06/2020 por Flávio Reti – Furadeira elétrica

04 de junho

Lucas 18:27  “As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis para Deus” 

Furadeira elétrica

Muitas vezes eu subia nos tetos das casas ajudar meu pai a fazer o madeiramento para o telhado. Para furar peças de madeira mais grossas onde iriam parafusos, nós usávamos uma ferramenta chamada de trado, que era uma broca em formato de um T que a gente ia girando manualmente até romper a madeira. E quando era peça de madeira mais fina onde iriam pregos ao invés de parafusos, nós usávamos uma outra ferramenta chamada de “arco de pua”, conhecida dos Portugueses como berbequim, que era uma espécie de manivela tendo numa das pontas uma broca, que naquele tempo meu pai chamava de verruma e girando a manivela e forçando a broca os furos na madeira iam saindo. Com o passar do tempo surgiu no mercado a furadeira elétrica que faz em um minuto o que demorava dez minutos, e se não bastasse surgiu também a parafusadeira elétrica que economiza muito trabalho. Na história da vida, o homem sempre teve a necessidade de fazer buracos, pequenos ou grandes, nos diversos tipos de materiais. Antes do trado, antes do arco de pua, não sei como o homem fazia furos em madeiras, em argila dura, em pedras. Mas, como a necessidade é a mãe das invenções, de algum modo eles faziam os furos necessários para suas habitações. Com o surgimento da furadeira elétrica a gente nem pensa se algum dia no passado alguém precisou fazer furos em madeira para construir sua casa, mas na verdade sempre precisou. A furadeira elétrica tem na ponta uma peça ajustável a qualquer espessura de broca chamada mandril que abre e fecha e dá aperto na broca para esta não escapar ao furar e com isso facilitou muito o serviço dos pedreiros, carpinteiros e marceneiros e também dos serralheiros. Falando em furos, furar, a gente às vezes brinca com a expressão “fazer um furo n’agua”, que seria para dizer que é impossível ou inútil tentar, mas na vida como a levamos, nós muitas vezes ficamos tentando coisas inúteis ou coisas impossíveis, quase literalmente fazendo furos na água. Então, daí concluímos que, se há alguma coisa na vida que precisa ser repensada, é não perder tempo, não tentar o impossível, é ser prudente, para saber evitar aquilo que sabidamente não vai dar certo, que vai acabar em nada, em tempo perdido, em tentativa frustrada. Há muitas coisas que nós, ainda que tentemos, não vamos conseguir fazer e talvez seja por isso que o salmista disse para “entregar o nosso caminho ao Senhor, confiar nele, e o mais ele fará” (Salmos 37:5). Está aí um bom conselho, entregar nossos caminhos ao senhor e não ficar tentando fazer furo na água.

Os comentários estão encerrados.