Meditação diária de 03/02/2021 por Flávio Reti – Onde achar a verdadeira felicidade?
03/02/2021
FELIZ SÁBADO
05/02/2021

Meditação diária de 04/02/2021 por Flávio Reti – Onde foi que o Judas perdeu a bota?

04 de fevereiro

Mateus 26:15  “E eles lhe pesaram trinta moedas de prata”

Onde foi que o Judas perdeu a bota?

A expressão “onde o Judas perdeu a bota” a gente usa em tom de brincadeira para indicar alguma coisa muito distante, longe, de difícil acesso, mas existem histórias que justificam a expressão. Na Bíblia, não existe nenhum indício ou relato de que Judas Iscariotes, o delator de Cristo, teria ou não o hábito de calçar botas. Segundo nos consta, o apóstolo, conforme está descrito nos evangelhos, entregou Jesus aos guardas romanos com um beijo traiçoeiro em troca de 30 moedas de prata, nem eram de ouro, e depois se arrependeu e foi se enforcar, mas antes devolveu as moedas aos sacerdotes que foram e compraram um terreno que acabou ficando conhecido como “campo de sangue”. Dizem que a expressão veio da ignorância do povo durante ainda na idade média, porque a população em geral não sabia ler, era analfabeta, excetos os nobres e os líderes religiosos que detinham o conhecimento. Uma das estórias é que Judas teria escondido o dinheiro em uma de suas botas, mas esse dinheiro até hoje não foi encontrado e daí essa expressão “onde Judas perdeu as botas” se referir a um local de difícil acesso, difícil de ser encontrado. Isso vai contrário à narrativa do evangelho que narra o destino do dinheiro, e este nunca foi perdido. Agora, se Judas realmente perdeu as botas, forçosamente deve ter sido em Jerusalém, mas ninguém as achou até hoje, quem sabe algum dia, algum arqueólogo vai escavar as botas de Judas? Outra história sem comprovação diz que Judas foi encontrado pendurado na árvore mas sem as botas, descalço, porque alguém já havia levado suas botas onde estava o dinheiro. Até os soldados, quando viram que Judas já estava morto e sem as botas, abandonaram o local e saíram em desabalada carreira em busca de outro alguém que teria roubado o ladrão Judas Iscariotes e como ninguém achou as ditas botas, a dúvida ficou no ar: Onde será que Judas perdeu as botas? A dúvida se perpetuou nas línguas e deve ter chegado até nós com essa conotação de algum lugar distante, longe, de difícil acesso. Aqui no Brasil há outras expressões com o mesmo significado e nenhuma causa tanta estranheza como esta de “Onde Judas perdeu as botas”. Veja: Onde o vento faz a curva; no fim do mundo; nos cafundós do Judas e os nordestinos preferem dizer “na baixa da égua”. Tanta especulação sobre Judas e nenhuma preocupação com Jesus que foi crucificado nu entre bandidos, para vergonha pública. Quem é mais importante, a bota de Judas ou a pessoa de Jesus?

Os comentários estão encerrados.