Meditação Diária de 02/05/2017 por Flávio Reti
02/05/2017
Musical Nova Voz
03/05/2017

Meditação Diária de 03/05/2017 por Flávio Reti

Dia Mundial do Sol

“De dia o sol não te ferirá, nem a lua, de noite” Salmos 121: 6

Encontramos na história da humanidade que, na antiga Grécia, Ícaro, filho de Dédalo, tinha o sonho de voar como os pássaros. Um dia ele pregou com cera umas asas sobre o corpo e se jogou de um penhasco na intenção de voar. A lenda diz que, com o aquecimento do sol, a cera derreteu, as asas se soltaram e Ícaro despencou das alturas e morreu estatelado. O sol tem essa magia. O mesmo sol que aquece, dá a vida, também queima e mata. Nossos ancestrais já reverenciavam a magia do sol. Eles não apenas reconheciam o valor do sol como comemoravam o solstício de verão (solstício é o dia mais longo do ano) como uma data muito especial. William Shakespeare inspirou uma de suas obras (Sonho de Uma Noite de Verão) nesse momento. Já a noite de Natal recai na noite mais longa do ano (solstício de inverno), exatamente quando o sol começa a renascer e brilhar mais tempo no hemisfério norte. Os judeus têm uma comemoração a esse retorno do sol, a Chanuca, os iranianos tem a Yalda, os eslavos têm a Kracún, os escandinavos têm a Yule, os romanos tinham as Saturnálias.

Nós, dessa civilização contemporânea, não nos importamos muito com o sol. As estações do ano vêm e vão sem que nos damos conta delas, umas após as outras. Pra nós, os dias não são nem mais curtos e nem mais longos durante o ano porque acendemos a luz. Quando está frio, ligamos um aquecedor e se está quente, ligamos o ar condicionado. Mas os povos antigos ficavam durante o dia expostos ao sol, ao ar livre. Nós fazemos o contrário, nos isolamos dentro de quatro paredes em casa, no trabalho, nas lojas, no metrô, nos carros. Até pouco tempo, quando não existiam os antibióticos, transfusão de sangue, cirurgias, o sol é que trazia as propriedades curativas e preventivas para todos. Nos hospitais, obrigavam os pacientes a tomar banho de sol diariamente. Se não podia andar, ela levado na cadeira e se nem sentar pudessem eram levados com cama e tudo. O sol sempre foi bem-vindo!

No dia 19 de maio de 1780 numa região americana conhecida como Nova Inglaterra, compreendendo 6 estados do norte e parte do Canadá, aconteceu um fenômeno assustador. As pessoas contam que foi uma grande escuridão em pleno manhã, o sol sumiu ao meio dia. Naquele dia não houve eclipse. Aquele dia ficou conhecido na história como “o dia escuro”. Os teólogos se apressaram em explicar que era cumprimento da profecia do profeta Joel para os últimos dias. “O sol se converterá em trevas e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor (Joel 2:31). Jesus confirmou isso ao dizer que “logo após a tribulação daqueles dias, escurecerá o sol e a lua não dará sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes do céu serão abalados” (Mat.24:29).

Aquecimento do sol, escurecimento do sol são formas de Deus nos falar que o grande dia de sua volta se aproxima. O mundo vai de mal a pior e os homens não se apercebem de que estamos nos aproximando de um ponto decisivo da vida na terra. Queira Deus ter misericórdia de nós, abrir nossos olhos para vermos ao nosso redor as coisas que estão acontecendo indicando a proximidade da sua vinda. A vinda de Jesus, o sol vai se manifestar novamente. “É à meia-noite que Deus manifesta o Seu poder para o livramento de Seu povo. O sol aparece resplandecendo em sua força. Sinais e maravilhas se seguem em rápida sucessão. Os ímpios contemplam a cena com terror e espanto, enquanto os justos vêm com solene alegria os sinais de seu livramento. Nuvens negras e pesadas sobem e chocam-se umas nas outras. Em meio dos céus agitados, acha-se um espaço claro de glória indescritível, donde vem a voz de Deus” (A Verdade sobre os Anjos, p. 273). A natureza muda nos ensina lições de vida eterna. Deus está no controle!

 

Os comentários estão encerrados.