Comentários da Lição 01 (4º Trim/2020)
02/10/2020
Meditação diária de 03/10/2020 por Flávio Reti – Semicondutores
03/10/2020

Meditação diária de 03/11/2020 por Flávio Reti – Turbina

03 de novembro

I Crônicas 29:12  “Tanto riquezas como honra vêm de ti, tu dominas sobre tudo, e na tua mão há força e poder, na tua mão está o engrandecer e o dar força a tudo”

Turbina

A sequência da história dos motores é longa e cheia de quesitos de um ou de outro inventor, pesquisador e um vai aperfeiçoando o invento do outro e assim os motores foram evoluindo. Tudo começa com as máquinas a vapor, depois os motores à explosão interna com pistões e um eixo de manivelas chamado virabrequim, motores a gás derivado do combustível e finalmente, em 1945, se chegou ao motor turbinado na produção do avião a jato, fruto das pesquisas durante a II guerra.  O princípio do motor a jato é baseado na terceira lei de Newton, que também era conhecida como a lei da ação e reação. Newton afirmava que todas as forças surgem aos pares e o enunciado de sua lei diz o seguinte: “A toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade: as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas em sentidos opostos”. O princípio do avião a jato, turbinado é esse, um motor que expele um grande jato de um gás gerando uma força de impulso pela queima do combustível, jogado para trás impulsionando como reação o avião para frente. Os aviões a jato só surgiram depois da invenção da turbina e depois dela o grande avanço da corrida espacial com foguetes indo até a lua e mais atualmente levando satélites ao espaço, o que seria impossível sem um motor com turbina. O que uma turbina faz é converter a energia da ação na expulsão do gás criado pela queima do combustível e converter a reação em movimento do eixo que vai gerar trabalho. Fala-se muito em turbina hidroelétrica, aquela que vai gerar energia elétrica ou se fala em turbina de avião. Se por acaso você tiver a oportunidade de se aproximar de uma turbina de um avião moderno, vai perceber que ela é maior do que um carro modelo Kombi. Imagine a força que dois, três ou quatro motores desse tamanho têm para impulsionar um avião. Não é de se admirar que um avião pode levar 500 passageiros, outro tanto de peso em bagagens e dois caminhões tanques de combustível. E quando o avião acelera para decolar você sente o empuxo das turbinas a despeito do peso que tudo isso significa. É realmente estupendo o poder de reação das turbinas, mas quando você para e pensa no poder de Deus uma turbina é nada. Por exemplo, quem sustenta no espaço os grandes astros, milhares de vezes maiores do que a nossa terra? Que força descomunal é essa que os pôs em movimento desde a criação do universo e até hoje eles estão aí nas suas órbitas sem se atrasarem e nem adiantarem? Realmente grande é o nosso Deus, grande em poder que nós só podemos conjecturar, mas nunca entender totalmente.

Os comentários estão encerrados.