Reportagem sobre Missão Novo Tempo – Capacitação
01/07/2017
Vai ter PipNic no céu – Inscrições Abertas
02/07/2017

Meditação diária de 02/07/2017 por Flávio Reti

02 de julho
Dia do hospital

Salmos 103:3    “É ele quem perdoa todas as tuas iniquidades, quem sara todas as tuas enfermidades”

Não estou conseguindo aceitar que hospital mereça algum dia para comemorar, ou para ser lembrado, aliás, nossa tendência natural é esquecer até que existe hospital. Esse dia foi escolhido para coincidir com a reinauguração da Santa Casa de Misericórdia de Santos, em 1945, reinaugurada pelo presidente Getúlio Vargas. É o dia do hospital, desse citado, não dia mundial dos hospitais que será comemorado em 14 de Julho. Não se tem por certo a origem do que hoje conhecemos como hospital, mas especula-se que os primeiros locais que se assemelhavam a hospitais surgiram muito antes de Cristo, 2.290 anos antes de Cristo, porque numa região entre a Galileia e a Judeia existem pinturas que sugerem um possível local de recuperação de feridos de guerra. Embora se admita existir lugar dedicado à cura desde a antiguidade, foi com o cristianismo que esses locais passaram a ser mais comuns e passaram a dar assistência para doentes, peregrinos e pobres. Na sua essência, um hospital tinha uma visão humanística, diferente do que se vê hoje. Quem não tem plano de saúde, seguro saúde, nem precisa procurar um hospital. Saúde hoje é uma mercadoria que pode ser vendida e comprada e podemos até regatear o preço.

Antes do advento dos hospitais, as pessoas que precisavam de cura procuravam inicialmente os templos para pedir cura aos deuses através dos sacerdotes. No Brasil, o primeiro hospital, como o conhecemos hoje, foi a Santa Casa de Misericórdia de Santos, fundado em 1543 por iniciativa de um Português bem conhecido na história, Brás Cubas. Por estar longe de Portugal, o Brasil era uma colônia além mar, não havia médicos para atuar, logo, quem cuidava dos pacientes eram os jesuítas. Esse mesmo monumento à saúde é que foi reconstruído e reinaugurado em 1945. A colônia cresceu, se libertou, desenvolveu e hoje o Brasil conta com mais de 6.000 hospitais sendo 24 deles com certificação internacional de excelência. Você sabe quais são porque é neles que os políticos de Brasília se tratam.

Para o povo de Israel, logo depois de Moisés, Deus se propunha a curar o seu povo. No incidente do deserto, quando mordidos de cobra, eles apenas olhavam para um poste com uma serpente de metal, simbolizando Cristo na Cruz, e eram curados milagrosamente. Nos dias do profeta Eliseu, Naaman, um alto funcionário da Síria (II Reis 5:9,10), procurou o profeta para ser curado da lepra. O Rei Ezequias orou ao Senhor quando esteve doente (II Reis 20:2, 3). Daniel esteve doente e um anjo o tocou (Dan.10:8-10). O ministério de cura realizado por Deus fica mais evidente na pessoa de Jesus. Ele percorria todos os lugares curando a muitos (Mar.1:34), curava em qualquer dia, inclusive no sábado (Luc.13:14). Parece que Jesus prescindia de hospital. Hospital é o lugar, não é a ação curativa. A glória da cura nos hospitais vem dos médicos que ali atuam. Não é novidade muitos doentes serem tratados em casa e sararem de igual maneira. Uma oração com fé pode ser um excelente remédio com alto poder curativo. Jeremias orou pedindo a cura (Jer.17:14). “Cura-me, Senhor, e serei curado; salva-me e serei salvo, pois tu és o meu louvor”.  “Cristo é a fonte da vida. O que muitos necessitam é possuir dEle mais clara compreensão; precisam ser paciente, bondosa e fervorosamente ensinados quanto à maneira em que podem abrir inteiramente o ser às curativas forças celestes. Quando a luz solar do amor de Deus ilumina as mais escuras câmaras da alma, cessam o desassossego, a fadiga e o descontentamento, e satisfatórias alegrias virão dar vigor à mente, saúde e energia ao corpo. Achamo-nos num mundo de sofrimento. Dificuldades, provações e dores nos aguardam em todo o percurso para o lar celeste. Muitos existem, porém, que tornam duplamente pesados os fardos da vida por estarem continuamente antecipando aflições. Se têm de enfrentar adversidade ou decepção, “Vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus… com ação de graças” (Filip. 4:6. Ciência do Bom Viver 247). Você alguma vez já esteve doente. Como foi que você se curou? Você orou pedindo a cura? Experimente quando precisar, Deus pode e você também, porque “você tudo pode naquele que o fortalece” (Fil.4:13).

 

Os comentários estão encerrados.