Semana de Oração Especial – 4 a 12 de Abril = Ao vivo
01/04/2020
Meditação diária de 03/04/2020 por Flávio Reti – Colete à Prova de Bala
03/04/2020

Meditação diária de 02/04/2020 por Flávio Reti – Colchão de molas

02 de abril

I Tessalonicenses 4:13  “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais como os demais que não têm esperança”

Colchão de molas

Quando a gente pensa no objeto colchão, a mente fica especulando se nossos primeiros pais, o povo primitivo neste mundo usavam alguma coisa para deitar em cima ou se eram apenas ramos cheios de folhas para afofar o chão, que coisa seria o substituto do colchão antigamente? A rede? Quando você vê hoje colchões de todo tipo e de todo material feitos com indicação de determinada faixa de peso, com top ou com dupla face feitos de material importado, com fio egípcio, pluma de ganso, molas ensacadas, cama king ou queen, colchão de água, de ar, a gente não consegue passar sem pensar “como eles dormiam”? Eu sei que quando eu era moleque eu dormia em colchão feito em casa, cheio de palha de milho que eu mesmo descascava as espigas, desfiava as palhas e enchia o colchão que depois de algum tempo estava pisado e precisava trocar o recheio. Será que os antigos tinham a ideia de costurar algumas peles de animais, encher de folhas ou de palha para dormir em cima, porque tecido eles não tinham para confeccionar colchão. Pelas leituras feitas, os romanos foram os criadores dos primeiros colchões feitos com materiais orgânicos (eram chiques, eram orgânicos) como penas, algodão, palha também, pelo de animais ou lã. É bom lembrar que os colchões orgânicos atraiam insetos, bichos como percevejos, bactérias e mofo. 3.400 anos antes de Cristo já se tem notícia de que o Rei do Egito Tutancâmon dormia em cama de madeira nobre, feita de ébano. Desde o renascimento (século XV ao XVI) já havia colchões na Europa fabricados com tecidos, com desenhos e com relevos e com o advento da Revolução Industrial, século XVIII, Heinrich Westphal inventou o primeiro colchão de molas. Aqui em São Paulo, no bairro do Brás, uma empresa de nome Órion foi a primeira a produzir colchões de espuma de poliuretano, em 1958, e depois surgiram a Trorion, a Piraespuma entre outras. Ao redor de 90% das pessoas admitem ter dor nas costas, dores musculares, torcicolos por causa da qualidade do colchão que estão usando, porque não levam em conta o material do colchão, o biotipo da pessoa, mesmo sabendo que passamos 1/3 da vida em cima de um colchão. Desde 2014 existe no Brasil o INMETRO que faz a certificação obrigatória dos colchões de espuma, de molas e ortopédicos. Tudo isso para dormirem sobre um colchão, ter um sono tranquilo, reparador, mas nenhum comentário se viu sobre o sono da morte que é real para todos nós, mais cedo ou mais tarde. Preparamos o colchão para acordar bem disposto no dia seguinte, mas não nos preparamos para acordar na manhã da ressurreição prontos e preparados para ver Jesus voltando em grande glória. Temos que rever nossos conceitos e mudar nossos pensamentos sobre o sono antes da volta de Jesus.

Os comentários estão encerrados.