Meditação diária de 01/03/2020 por Flávio Reti – Câmara Fotográfica
01/03/2020
Meditação diária de 03/03/2020 por Flávio Reti – Câmera digital
03/03/2020

Meditação diária de 02/03/2020 por Flávio Reti – Câmbio automático

02 de março

João 16:33  “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”

Câmbio automático

Câmbio de carro e embreagem sempre foi o pesadelo de quem está aprendendo dirigir, porque o motorista precisa pisar na embreagem e mudar a marcha ao mesmo tempo, enquanto não pode descuidar do trânsito, das placas, dos sinaleiros (farol, semáforo, dependendo da região). Ao motorista, pouco interessa saber como funciona a troca de marcha, como engatar o carro, como funciona a embreagem. Para esses, é bom que se diga que ao pisar na embreagem ela isola a caixa de câmbio (ou caixa de marchas) do motor e para tudo, enquanto isso o motorista deve trocar a marcha e soltar a embreagem para que ela novamente atraque no motor para transmitir a força do motor para a caixa de marchas novamente. Os primeiros carros eram chamados de “câmbio seco” e trocar de marcha era só pela habilidade do motorista em adivinhar o tempo certo, quando o motor e o câmbio estivessem girando na mesma velocidade. Mas com o advento da embreagem, isso se resolveu. Mas ainda não estava bom e eis que inventaram o câmbio automático, ou hidramático, que não precisa nem de embreagem. Você põe a alavanca do câmbio na posição D (drive em Inglês) e vai até Porto Alegre sem pôr mais a mão na alavanca do câmbio, o carro faz tudo sozinho, troca as marchas nas subidas, reduz nas descidas e você só precisa cuidar da direção. Dizem que câmbio automático é pra carro de velho, porque não precisa trocar de marcha, o carro faz por ele. Um engenheiro canadense, Alfred Horner Munro, pensou o câmbio automático, mas tentou fazer funcionar com ar comprimido e não deu muito certo, não conseguiu aplicação comercial. Daí, dois brasileiros, José Braz Araripe e Fernando Lehly Lemos, em 1932, criaram o protótipo de um câmbio automático impulsionado com fluído hidráulico e hoje o mundo roda bem com câmbio automático inclusive nos ônibus e caminhões. Futuramente os brasileiros venderam seu projeto para a General Motors que introduziu a tecnologia nos antigos Oldsmobile 1940. Pensando em vantagem ou desvantagem, podemos citar como vantagem a facilidade para dirigir, a segurança, a maior durabilidade do motor e dos elementos da transmissão. Se pensarmos em desvantagem, podemos citar o maior consumo de combustível, maior uso do pedal de freio, maior custo de reparo quando houver. Comparando as vantagens e desvantagens do câmbio automático, eu pensei logo nas vantagens e desvantagens de sermos cristãos. Como vantagem, nós temos mais saúde, temos consciência tranquila, confiança no poder de Deus, esperança de vida eterna, tranquilidade no seio da família, etc. Como desvantagem, se é que existe, posso citar o desprezo pelo mundo, o preconceito por ser cristão, dificuldade de emprego quando observamos o sábado, não comemos de tudo que o mundo come, não participamos das festas e comemorações pagãs e somos sempre taxados de “crentes” pejorativamente. Mas nem por isso vamos deixar de ser bons cristãos.

Os comentários estão encerrados.