Meditação diária de 30/04/2020 por Flávio Reti – Embalagem Tetra Pak
30/04/2020
Culto de Sábado – 02/05/2020 – Transmissão Ao Vivo, a partir das 9h30
01/05/2020

Meditação diária de 01/05/2020 por Flávio Reti – Embalsamamento

01° de maio

Lucas 20:38  “Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos, porque para ele todos vivem”

Embalsamamento

Aposto que você já pensou em múmia! É uma técnica de preservação de cadáveres para que não apodreçam antes da hora. Em alguns países, um deles é os Estados Unidos, há o costume de se fazer o funeral meses depois para que os parentes de perto e de longe tenham tempo de virem participar e pra isso precisam preservar o corpo, então, eles o embalsamam. Hoje já se conhecem muitos químicos preservativos, mas no antigo Egito o embalsamamento era uma arte um tanto complexa e só era possível dependendo do poder aquisitivo do morto, ou da família do morto. Pra começar, o cérebro era extraído por um processo chamado trepanação que consistia em sugar o cérebro pelas narinas. A barrigada, os órgãos internos do tórax eram retirados por um corte lateral no cadáver. Depois o corpo era colocado em uma química chamada natrão para desidratar as células e evitar as bactérias e ali ficava durante quarenta dias e só depois eles enchiam o vazio do corpo com ervas aromáticas e suturavam. Só depois o corpo era enrolado em faixas de algodão, deitado dentro de um sarcófago e depositado nalguma sepultura ou escondido na base de alguma pirâmide. O processo todo durava mais de dois meses. A última pessoa da qual se tem notícia de embalsamamento foi de uma menina de um ano de idade, na Itália, deixada nas catacumbas de Palermo, na Sicília. Foi embalsamada por um tal Alfredo Salafia e está hoje numa caixa de vidro em perfeitas condições parecendo uma boneca. Antes de morrer, Jacó pediu a seus filhos que não o deixassem no Egito, mas que o levassem para Canaã e o sepultassem junto com Abraão, Isaque (Gen.49:29-30). Logo que ele faleceu, José, seu filho e governador do Egito, deu ordens aos servos que o embalsamaram e, cumpridos os quarenta dias depois de embalsamado, José o levou para a terra de Canaã e lá o sepultou. Embalsamar não é uma técnica nova, sabe-se que desde 3.300 anos antes de Cristo a técnica já era usada quando embalsamaram a primeira múmia conhecido por “Ginger”. Embalsamar lembra múmias, é verdade, mas ainda se faz atualmente preparando os cadáveres para o velório, para transporte e para esperar o momento adequado para o sepultamento. Os Egípcios faziam isso porque acreditavam que após a morte as pessoas ainda iriam precisar do corpo e então a matéria deveria ser preservada. Mas a bíblia nos ensina que os mortos não sabem coisa alguma e que sua memória ficou entregue ao esquecimento (Ecles.9:4-7). Ora, se nós sabemos dessas coisas, do estado do homem na morte, temos mais é que nos apegar com Deus para termos a oportunidade de ressuscitar por ocasião da volta de Jesus. Embalsamar para que? Nós seremos transformados (I Cor.15:52). Essa é a grande esperança que acalenta nossos sonhos nesta vida.

Os comentários estão encerrados.