Início das atividades dos Desbravadores de 2019
28/02/2019
Comentários da Lição 9 (1o Trim/2019) por Classe 3
01/03/2019

Meditação diária de 01/03/2019 por Flávio Reti – Khalid Sheikh Mohammed

01 de março

Apocalipse 22:12  “Eis que cedo venho e está comigo a minha recompensa para retribuir a cada um segundo a sua obra”

Khalid Sheikh Mohammed

Esse indivíduo ficou conhecido por mais de cinquenta pseudônimos e se encontra mantido na prisão americana de Guantânamo, em uma das ilhas de Cuba, por causa dos crimes de terrorismo que praticou sempre incluindo destruição em massa. Os detetives da CIA o identificaram como o principal homem que arquitetou o plano de onze de setembro de dois mil e onze quando dois aviões se chocaram com as duas torres gêmeas no centro de Nova York e um outro avião se despedaçou atingindo o Pentágono. O relatório da comissão que pesquisou e traçou a ordem dos acontecimentos que precederam o ataque incluiu, sem possibilidade de dúvida, seu nome como o principal mentor. Segundo o relatório, ele foi um dos membros da al-Qaeda, liderada por Osama Bin Laden, e sob tortura confessou sua participação no atentado e em vários outros planos terroristas mais significativos. Ele ainda não foi executado com a pena de morte porque os meios usados no seu interrogatório colocam sob suspeita sua confissão. Os membros da CIA têm a confissão mas não tem a certeza da sua participação, uma vez que foi obtida sob tortura. Se não foi ele, foi algum outro terrorista, verdade é que os dois prédios vieram abaixo e muitas pessoas inocentes morreram debaixo dos escombros no maior atentado do século, exatamente contra a nação mais poderosa da terra e, como ironia, também a mais orgulhosa da terra.

Mas podemos olhar para a história de muitas pessoas que já morreram pelo outro lado, pelo lado das muitas que viveram e que ainda viverão. Houve um homem enviado por Deus a este mundo cuja missão era levar sobre si os pecados da humanidade e ele veio, assumiu a culpa que não era sua, suportou a afronta e a vergonha da cruz, o instrumento de tortura imposto pelo romanos, e morreu uma morte ignominiosa em favor da raça caída. Mas ele ressuscitou, disse abertamente que era a ressurreição e a vida e fez promessas de um dia voltar para buscar seus filhos, aqueles que forem fieis até o fim. Ele, Jesus Cristo, o filho de Deus, faz exatamente o contrário do que fez Khalid Sheikh Mohammed matando dezenas de pessoas inocentes. Jesus promete salvar milhares de pessoas inocentes, das quais eu quero ser uma. E ele faz mais do que isso, ele garante perdoar nossos pecados, abençoar nossa vida para vivermos a altura do que significa ser um cristão, um adepto de Cristo. Meu coração se enche de alegria quando penso na possibilidade de um dia poder viver no céu durante toda a eternidade salvo por Jesus. Por isso, se eu morrer antes da sua volta, eu gostaria que escrevessem sobre a minha lápide o seguinte: Aqui jaz Flavio Reti, salvo pela graça de Jesus, aguardando a bem aventurada esperança para viver na glória da vida eterna. A possibilidade de poder um dia viver na eternidade me fascina e eu não posso perder essa expectativa de vista. Eu preciso estar lá e pela graça de Jesus assim espero.

Os comentários estão encerrados.