Comentários da Lição 3 (2º Trim/2016) por Guilherme Carrijo, Jeser Castro e Ricardo Dantas
14/04/2016
Comentários da Lição 4 (2º Trim/2016) por Guilherme Carrijo, Jeser Castro e Ricardo Dantas
21/04/2016

Meditação de Pôr do Sol de 22/04/2016 por Fernando Valente

A PROVA

Vê, colocarei uma porção de lã na eira. Se o orvalho molhar apenas a lã e todo o chão estiver seco, saberei que tu libertarás Israel por meu intermédio, como prometeste. Juízes 6:37-38

Desde 2010 trabalho num projeto que tem por objetivo tornar possível o carregamento e descarregamento em alto mar de cargas em contêineres. Sou de Manaus, AM, e minha região sequer é banhada pelo mar; porém, abracei esse projeto com muito empenho. Por mais de dois anos buscamos, sem sucesso, uma maneira de tornar a operação possível. A oportunidade real surgiu em 2013, numa feira de logística em São Paulo, onde conheci a tecnologia que viabilizaria o projeto.

A maior dificuldade a ser enfrentada era a falta de estabilidade nos guindastes causada pelas ondas. Por coincidência, uma empresa holandesa havia criado a plataforma que resolveria todos os problemas. Era exatamente o que eu precisava, mas com uma aplicação completamente diferente. Após ver a plataforma na feira, fiz contato com o diretor da empresa no Brasil. Ele me atendeu muito bem e disse que poderia marcar uma reunião com o presidente mundial da companhia, na Holanda. Fizemos planos de viajar em 20 de maio de 2013 com um grupo de três pessoas: eu, meu sócio e nosso engenheiro. Contudo, não contávamos com imprevistos. Meu sócio e o engenheiro tiveram problemas que os impediriam de ir à Holanda, mas a reunião estava marcada e, se a cancelássemos, talvez não teríamos uma segunda chance.

Ainda fui ao Rio de Janeiro tentar convencer nosso engenheiro a ir. Poliglota e com experiência profissional no exterior, nele estava toda nossa esperança de fechar o acordo com os holandeses. Entretanto, para meu desespero, ele não poderia viajar. Assim, com meu inglês sofrível e sem muita escolha, resolvi confiar em Deus. Fiz uma oração com muita fé e com o coração aberto: “Senhor, sei que Tu nos falas por meio da Palavra que nos foi enviada e está no Livro Sagrado. Sei que ouves nossas orações e, nestes dias, preciso que tu fales comigo diretamente. Preciso te ouvir, meu Pai.”

Meu desespero fazia muito sentido. Era minha primeira vez na Europa, não sabia falar inglês e estava em jogo três anos de projeto. A partir do momento em que desembarquei em Paris para uma conexão até Amsterdã, passei a sentir como se uma voz falasse dentro de minha cabeça. As ordens eram extremamente específicas. Por exemplo, fale com aquela pessoa, fique naquela fila, fale isso, não fale aquilo. Fiquei muito feliz por estar passando por aquela experiência. Consegui chegar até o hotel e, finalmente, no quarto, ajoelhei-me, agradeci e renovei o pedido. Durante as reuniões ouvia a voz me mandando parar e ler a Bíblia nos intervalos. Achei aquilo estranho, mas obedeci. Enquanto fazíamos intervalos eu ficava na sala lendo minha Bíblia. Até hoje não sei que repercussão aquele ato gerou, mas no Céu vou querer saber.

No segundo dia, obtive a aprovação deles. Eles se comprometeram a enviar o contrato em uma semana. Despedi-me e peguei o metrô de volta ao hotel. No meio da viagem, a voz me disse para voltar à empresa e solicitar que o contrato fosse feito naquele mesmo dia. Fiquei muito preocupado em incomodá-los, pois eles haviam se comprometido em me enviar tudo em uma semana. Todavia, como a voz havia me ajudado em tudo, voltei. Após alguma insistência, eles prepararam o contrato em três horas, período em que fiquei lendo a Bíblia na recepção da empresa. A voz falava para eu não parar de ler. Depois daquele tempo de espera, finalmente o contrato estava pronto e assinado.

Fiquei muito feliz com o resultado e resolvi conhecer o zoológico de Roterdã. Quando cheguei lá, vi que havia um lobo marinho famoso e que muitas crianças estavam em frente ao tanque para vê-lo. Entretanto, o bichinho resolveu não aparecer. Após a saída das crianças, resolvi tirar a prova com Deus e orei assim: “Senhor, perdoe- me por esta oração, sou de pouca fé e morro de medo de estar ouvindo minhas próprias ideias; portanto, se foi o Senhor mesmo que falou comigo por todos esses dias, eu gostaria de uma prova. Se foi o Senhor, aquele lobo marinho vai aparecer quando eu chegar perto do tanque.” Bastou eu me aproximar que o animal apareceu no meio do tanque. E mais, ele veio nadando em minha direção e tenho certeza de que olhou em meus olhos. Comecei a chorar emocionado. Deus foi maravilhoso comigo e será com você também. Acredite!

Fernando Valente
Casado (2 filhos), membro da Igreja do IASP desde 2012.

Os comentários estão encerrados.