Comentários da Lição 7 (3ºTri/2015) por Wagner Teoro
15/08/2015
Comentários da Lição 8 (3ºTri/2015) por Wagner Teoro
21/08/2015

Meditação de Pôr do Sol de 21/08/2015 por Filipe Freire

 ESCOLHA OBEDECER

 

“Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas.” Eclesiastes 11:6

Nasci em um lar adventista e desde cedo aprendi a importância das horas sagradas do sábado. O
culto de pôr do sol de sexta-feira sempre foi um momento especial para nossa família. Lembro-me das
melodias que cantávamos e dos encontros ao redor da mesa com uma deliciosa refeição tornando esses
momentos muito significativos. Aos 19 anos passei na faculdade e fui morar distante de minha casa no sul
do país. Sentia a falta da minha família, dos amigos e esse sentimento apertava ainda mais no início do
sábado.

Na faculdade havia muito poucos guardadores do sábado. Não foi difícil testemunhar e ser
reconhecido por características peculiares como não tomar bebida alcoólica, ser vegetariano, não acompanhar
as idas a bares noturnos, guardar o sábado, entre outras coisas mais. Nunca tive problemas em defender
meus princípios e na grande maioria das vezes era respeitado e até apoiado pelos colegas de turma.
Como todo estudante de uma universidade secular tive algumas dificuldades com provas aos sábados, mas
pela graça do Senhor pude fazê-las em outros dias sem comprometer meus princípios.

No último ano de faculdade estávamos todos ansiosos para nos formar e os planejamentos para
esse momento já haviam começado. A comissão de planejamento de formatura colocou em votação uma
data para serem tiradas fotos que estariam no álbum de formatura. Esta data coincidiu em ser um dia de
sábado. Assim que fiquei sabendo da data conversei em particular com os organizadores sobre a possibilidade
de mudança da data ou alguma alternativa para realizar as fotos após o pôr do sol. Após alguns dias,
aguardando a resposta fui avisado que a data permaneceria e que talvez fosse possível realizar fotos após o
pôr do sol do sábado, mas que as fotos coletivas seriam realizadas no sábado à tarde. Agradeci e aceitei a
resposta. Avisei que não compareceria no sábado à tarde para as fotos coletivas e se desse certo tiraria as
demais fotos após o pôr do sol do sábado. Até então me parecia um episódio simples e resolvido.

Na semana anterior ao dia escolhido para as fotos, um dos meus amigos ficou sabendo que eu não
participaria das fotos. Expliquei a ele que já havia conversado com a comissão organizadora da formatura.
Ele ficou calado e não tocou mais no assunto. Outros colegas ficaram sabendo dessa história e sem que eu
soubesse foram conversar com a comissão de formatura e marcaram uma reunião extraordinária com toda
a turma para discutir o caso. Na data marcada fui à reunião. Diante de todos os alunos foi me dada a oportunidade
de explicar os meus motivos de guardar o sábado e explicar toda a situação para os meus colegas.
Há um texto do livro “Conselhos para a Igreja”, na página 266 que diz: “É intuito do Pai celestial preservar
entre os homens, mediante a observância do sábado, o conhecimento de Si mesmo. Seu desejo é que o
sábado nos aponte a Ele como o único Deus vivo e verdadeiro, e pelo conhecimento dEle possamos ter vida
e paz.” Após expor minhas explicações fiquei em paz e soube que alunos de outras turmas ficaram sabendo
do ocorrido e vários colegas de turma vieram conversar comigo demonstrando simpatia e admiração pelo
meu testemunho. Por fim, só consegui tirar as fotos individuais após o pôr do sol do sábado e não participei
das fotos coletivas no sábado à tarde.

Muitas vezes não entendemos porque algumas coisas acontecem, mas sabemos que todas as
coisas cooperam para o cumprimento da vontade do Senhor. Passados alguns anos descobri que uma das
alunas do curso se tornou adventista pela influência de outro amigo. Somente no céu saberemos os resultados
de nossas ações e como o Senhor operou em cada caso. Uma coisa é certa: escolha obedecer.

Filipe Freire
Está em Hortolândia desde 2000 quando seus pais vieram trabalhar no IASP. Começou a frequentar regularmente a Igreja do IASP em 2006 e desde 2012 está na classe jovem. Já participou de alguns projetos missionários. Em abril de 2014 se casou e a partir deste ano é ancião.

Os comentários estão encerrados.