Comentários da Lição 7 (3º Trim/2016) por Filipe Lima
10/08/2016
Comentários da Lição 8 (3º Trim/2016) por Filipe Lima
18/08/2016

Meditação de Pôr do Sol de 12/08/2016 por Luís Carlos dos Santos


A VERDADE VENCEU

E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. João 8:32

Conheci minha esposa em 1982, quando ela tinha 12 anos e eu, 14. Era o início do ano letivo na Escola Padre Fabiano, em Capivari, SP. Éramos católicos. Como aluno veterano, coube-me a honra de mostrar as dependências do colégio àquela loira de olhos azuis que desde então me encanta.

Em 1o de junho de 1991, às 11h, lá estávamos nós na Igreja Matriz de nossa cidade, trocando alianças e prometendo fidelidade um ao outro. Como bons católicos, frequentávamos a missa, as quermesses, etc.
Entretanto, as coisas começaram a mudar quando comecei a ler uma Bíblia que havia ganhado em agosto de 1989 de um colega de trabalho, Josué Vieira, genro do meu amigo João Portuga, integrante do Conjunto
Tradisom, da igreja do IASP. Adquiri o hábito de ler as Escrituras toda noite antes de dormir, e foi a partir disso que descobri verdades novas para mim.

Percebi que minha religiosidade estava ficando sem sentido, até que na noite de 4 de abril de 1992, comecei a me perguntar por que não me sentia feliz se estava casado com a mulher dos meus sonhos, tinha um emprego e salário ótimos e morava numa casa linda. No amanhecer do dia seguinte, um domingo, por volta das 10h30, liguei a televisão para me distrair. Foi então que me deparei com um programa de “crente” e fiquei ali, parado, apenas ouvindo e prestando atenção em tudo. Ainda enquanto namorava, recordo-me de ter dito à minha esposa que se um dia eu tivesse de “virar crente” eu seria adventista. O mais curioso é que não conhecia nada ou quase nada da igreja. Contudo, o Senhor tinha planos para nossa vida. Enquanto assistia àquele programa de TV, entrou em cena um quarteto cantando uma bela música. Era o Arautos do Rei, dizendo para mim: “Crente nenhum esse Amigo esquece, não nenhum, não nenhum.” Em meio a lágrimas entendi que, para ser feliz, eu precisava ter Cristo em espírito e em verdade em meu coração. No fi m soube que o nome do
orador do programa “Fé para Hoje” era o pastor Alcides Campolongo, que se tornaria meu pai na fé.

Dois dias se passaram e, na quarta-feira, 8 de abril, minha esposa e eu encontramos, ao chegar à casa de um passeio, dois convites que foram empurrados por debaixo da porta. Eles anunciavam a realização da Semana do Calvário, na Igreja Adventista central de Capivari. Fomos à igreja naquele dia e nos encantamos com a receptividade. Começamos a congregar ali e, no Natal de 1993, entregamos nossa vida ao Senhor Jesus
como um presente. Naquela noite recebemos Dele a certeza do perdão de nossos pecados e da vida eterna em Sua pessoa.

Do Senhor também recebemos de presente nossos filhos. Eles sempre estiveram envolvidos conosco nos vários departamentos da igreja. Somos membros da Igreja do IASP desde 2009 e nos sentimos honrados em poder servir a Deus e à nossa comunidade.

Luís Carlos dos Santos
Professor universitário do UNASP-HT e diretor do Ministério de Lar & Família da Igreja do IASP.

Os comentários estão encerrados.