Meditação de Pôr do Sol de 04/09/2015 por Leandro Weber de Oliveira
03/09/2015
Comentários da Lição 11 (3º Tri/2015) por Wagner Teoro
11/09/2015

Meditação de Pôr do Sol de 11/09/2015 por Carla Cristina Tosetto

CONHECENDO A VERDADE

“Se você chamar delícia o sábado e honroso o santo dia do Senhor, e se honrá-lo, deixando de seguir seu próprio caminho, de fazer o que bem quiser e de falar futilidades, então você terá no Senhor a sua alegria.” Isaías 58: 13-14

Conheci a Igreja Adventista através da escola de artes do IASP quando há cinco anos fui contrata- da para trabalhar como professora de canto. Nesta época, eu morava em Serra Negra e era membro da igreja evangélica do Brasil (IEB) onde conheci Jesus pela primeira vez. Coincidência ou “cristocidência” como costumo dizer, o pastor dessa igreja – que na época já era falecido – nasceu em berço adventista e tinha em sua vida diária e familiar parte da doutrina adventista. A igreja guardava o sábado, porém com menos fidelidade do que os adventistas. Até que um dia o pastor presidente estabeleceu uma nova doutri- na mudando o dia de cultos do sábado para o domingo.

Ao longo do ano fui recebendo propostas para trabalhar mais e mais dias na escola de artes até o ponto de ficar três dias na semana em Hortolândia o que nos fez tomar a decisão, em família, de nos mudarmos. Meu marido, que não era batizado na igreja, apenas frequentava alguns cultos, prestou concur- so público em Hortolândia e passou em primeiro lugar no cargo almejado. Assim, nos mudamos. E continu- amos viajando todo fim de semana para ir à igreja em Serra Negra, até que um dia fiz um acordo com Deus, disse: “Deus, me mostre uma igreja em que meu marido será convertido e batizado e é pra lá que eu irei”. Assim, Deus me mostrou a igreja adventista através da vida do meu marido Fabio, que fez a escolha de assistir os cultos aqui. Além disso, começamos a fazer os estudos bíblicos com o pastor Wanderson Paiva que foi quem me contratou como professora.

No início tive dificuldades principalmente em relação ao sábado, pois além de professora sou cantora e na épocafazia muitos shows aos sábados. Tinha contrato constantemente com a prefeitura de Serra Negra que é uma cidade turística para cantar na praça durante o dia e isso incluía os sábados. Fazia muitas coisas aos sábados como limpar a casa, fazer shows, cantar em casamento, sair para almoçar, entre outras atividades. Meu marido, por sua vez, também não havia permitido ser tocado pelo Espírito Santo quanto à guarda do sábado, sendo assim, continuamos vivendo normalmente.

Mas o Espírito Santo de Deus não nos deixou por um só momento desde a primeira decisão que foi a de trabalhar no IASP. Então, com pouco tempo de estudo comecei a ser tocada quanto ao sábado e o mais incrível, o Fabio também. Fiquei 10 anos orando pela verdadeira conversão dele até que o Senhor começou a transformar nossos corações simultaneamente.

Aos poucos, deixei de aceitar os trabalhos aos sábados e o Fabio trocou o seu horário às sextas– feiras das 8h00 às 17h00. Mais um tempo se passou e eu abandonei as aulas às sextas-feiras para que pudesse me preparar, arrumar a casa e deixar tudo pronto para o dia do Senhor.

Após um ano e meio de estudo bíblico decidi ser batizada. O coral jovem do IASP, durante a viagem de uma semana do segundo semestre de 2013, esteve orando pelo batismo do Fabio. Quando retornei recebi a notícia tão esperada que meu marido seria batizado junto comigo. Foi uma emoção muito forte após 10 anos de orações e súplicas para que nosso filho pudesse ter uma base espiritual bem concreta com toda família em Jesus.

O sábado então passou a ser verdadeiramente o dia feliz, a começar do café da manhã diferencia- do e das tardes de comunhão com nosso Deus. Hoje o sábado, para nós é dia de restauração, de descanso, de comunhão, de entrega e principalmente de santificação.

Carla Cristina Tosetto
Adventista recém-batizada, casada, mãe, professora de canto na Escola de Artes do IASP, cantora e serva de Deus.

Os comentários estão encerrados.