Meditação de Pôr do Sol de 25/09/2015 por Luci Angela Tosta Morais
25/09/2015
Comentários da Lição 1 (4º Tri/2015) por Moisés Sanches Jr.
01/10/2015

Meditação de Pôr do Sol de 02/10/2015 por Edilei Rodrigues de Lames

RECORDAÇÕES DA INFÂNCIA

“[…] Por que eu sei em quem tenho crido […]” 2 Timóteo 1:12.

Com exceção da quarta série, fiz todo meu ensino básico e fundamental em escola pública. Boa
parte do ensino fundamental cursei no período noturno, pois trabalhava para ajudar na renda da família.
Lembro-me das dificuldades dessa fase, pois a escola estava criando resistência quanto à sexta à noite
devido a alguns colegas que não estudavam na sexta, mas iam à escola no intervalo para se divertirem ou,
quando as provas eram mais difíceis, iam fazê-las. O mau testemunho sempre foi uma barreira ao cristianismo
prático.

O momento mais complicado dessa fase foi quando a professora de história que, além de ter uma
interpretação equivocada da igreja, tinha um aluno (eu) que questionava (ainda que de forma educada) as
explicações evolucionistas. Normalmente a aula acabava depois disso. Quando ela aceitou aplicar as provas
em horário alternativo, fazia questão de fazer uma prova diferente e com toda a complexidade que ela era
capaz de imprimir numa avaliação. Com a benção de Deus consegui fechar o ano com boas notas e com um
saldo de 20 colegas fazendo o curso bíblico Revelações do Apocalipse, interessados na igreja.

Para mim essa fase da vida foi marcante, até por que meus problemas com o sábado aconteceram
antes da faculdade. Hoje sou pai e gostaria de reforçar a importância do exemplo no lar. Minha família não
era perfeita, aliás, tínhamos muitos problemas, mas, lá em casa, desde muito cedo, o sábado era o momento
mais aguardado da semana. Mamãe, simples como ela é, sempre nos ensinou a estarmos prontos para
recebermos o pôr-do-sol.

Éramos de uma família muito simples, com cinco irmãos e morávamos no interior do Espírito
Santo. A igreja ficava a sete quilômetros de casa (Central de Laranja da Terra – ES) e lembro-me que, ainda
criança, tínhamos que ir à igreja a pé ou de charrete. Não foram poucas, às vezes, que íamos caminhando.
Em dias chuvosos levávamos uma sacolinha com a Bíblia, lição e uma muda de roupas, pois ao chegar à
igreja, tínhamos que trocar as roupas por causa da estrada de barro, sem asfalto. Mas sempre estávamos lá
bem antes do horário. Isso marcou muito minha vida e me deu forças para seguir firme na fé.

O tempo passou. Terminei o ensino médio no IPAE (Internato em Petrópolis – RJ). Senti Deus me
direcionando para trocar meu “sonho de criança” de ser engenheiro aeroespacial, por outro que ele havia
escolhido para mim. Não terminei as últimas fases do vestibular do IME e da UERJ, consegui uma bolsa de
estudos e fui cursar Administração e Ciências Contábeis no UNASP-EC.

Resumindo, depois de trabalhar na União Central Brasileira da Igreja Adventista por cinco anos,
aos 23 anos comecei a lecionar para o Curso de Administração da FAH/IASP. Gostei tanto do ensino que fui
fazer um mestrado e migrei para a área acadêmica. Hoje, professor, doutorando e coordenador do curso de
Administração, me sinto realizado e sei muito bem em quem tenho crido. Oro para que minha filha possa,
através do nosso exemplo, ter sua vida marcada pelas bênçãos do sábado.

Edilei Rodrigues de Lames
Adventista de berço. É professor da Escola Sabatina, integrante da equipe da Tesouraria e diretor de Mordomia. Casado e tem uma filha.

Os comentários estão encerrados.