Comentários da Lição 13 (1o Trim/2019) por Classe 3
29/03/2019
Meditação diária de 30/03/2019 por Flávio Reti – Vincent Willem Van Gogh
30/03/2019

Meditação de Pôr do Sol 29/03/2019 por Mellissa Fernanda Gomes da Silva

Minhas quatro vidas

“O Eterno me pôs em ação desde o dia do meu nascimento. No momento em que entrei no mundo, ele me chamou. Ele me municiou com palavras penetrantes. Manteve sua mão sobre mim, para me proteger. ” Isaías 49:1-2

Eu nasci no dia 11 de janeiro de 1983. Nesse dia, conforme anunciado no versículo desta meditação, Deus me chamou e manteve sua mão sobre mim para me proteger. Costumo dizer que Deus já me concedeu quatro vidas. A primeira delas foi a do próprio dia do meu nascimento, que ocorreu na cidade de São Paulo no Hospital Adventista. A segunda delas foi quando aos sete meses e meio fui acometida de uma meningite bacteriana que me deixou em coma por 47 dias. Meus pais me contam que os médicos chegaram a descartar uma possível melhora e que, se isso caso ocorresse, possivelmente eu ficaria com alguma sequela proveniente da doença. Deu-se início, então, a uma corrente de oração em prol de um milagre e ele aconteceu, foi conseguida uma amostra de um remédio vindo dos Estados Unidos que fez com que a doença regredisse não deixando nenhuma sequela.

A terceira delas foi aos 28 anos quando eu estava jogando rugby pela minha universidade na cidade de Botucatu. Naquele domingo de manhã, em um determinado momento do final do último jogo, em um embate com uma jogadora adversária, eu caí batendo a cabeça no gramado do campo. A princípio, não senti nenhum desconforto significativo. Porém, depois de aproximadamente uns quatro minutos comecei a sentir uma forte dor de cabeça, seguida de vômitos e duas convulsões. Fui encaminhada para o hospital universitário da cidade, sendo internada na unidade de terapia semi intensiva, tendo como diagnóstico traumatismo craniano. O médico responsável pelo meu caso, em conversa por telefone com o meus pais (eles estavam em Hortolândia quando o acidente aconteceu e, então, se encontravam a caminho de Botucatu) informou que talvez fosse necessário realizar uma cirurgia para retirada do coágulo, caso o mesmo continuasse aumentando. Graças a Deus, o coagulo se estabilizou e a cirurgia não foi necessária. No dia seguinte fui transferida para um hospital na cidade de Campinas onde permaneci internada por aproximadamente três semanas.

A quarta delas veio logo após 15 dias da alta do acidente anterior (traumatismo craniano) quando estava voltando para Hortolândia após uma festa de aniversário. Naquele sábado à noite chovia muito. Eu estava acompanhada com uma amiga e trafegávamos pela Rodovia Dom Pedro I. Eu conduzia o carro pela rodovia quando, de repente, ele começou a perder aceleração. Comecei a reduzir as marchas a fim de dar mais potência ao motor, mas, mesmo assim, a velocidade só diminuía. A solução foi levar o carro para o acostamento. Porém, antes que conseguíssemos chegar ao acostamento um caminhão bateu na traseira do carro e, por providência divina, logo atrás do caminhão vinha vindo uma ambulância que viu todo o acidente e parou para nos socorrer. O carro teve perda total, contudo, a minha amiga não teve nenhum arranhão e eu tive somente um corte leve na cabeça e alguns ferimentos ocasionados pelos cacos de vidro que se formaram devido a quebra dos vidros do carro.

Posso dizer, seguramente, que Deus tem um plano para minha vida e, por isso, tem mantido sua mão sobre mim para me proteger e testemunhar do Seu cuidado por mim desde o meu nascimento. Meu desejo é que, por meio desse testemunho, você também possa vir a compreender que Deus também tem um plano para sua vida e que Ele cuida de você a cada dia.

 

Mellissa Fernanda Gomes da Silva

Membro do IASP desde 1985

Os comentários estão encerrados.