Comentários da Lição 13 (3o Trim/2019) por Pastoral UNASP-HT
27/09/2019
Meditação diária de 28/09/2019 por Flávio Reti – Pedro Aleixo Gary
28/09/2019

Meditação de Pôr do Sol 27/09/2019 por Helenice de Oliveira Correa

2019-09-27

 

A lambreta missionária

 

“Alguns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós confiamos no nome do Senhor”. Salmos 20:7

Outro dia comentava de uma lambreta que meu pai teve, e fui inquirida, o que é uma lambreta? Não sei se você teve oportunidade de conhecer uma lambreta, vamos a alguns sinônimos para ela usados: motocicleta, mobilete, vespa, motorete, scooter. A lambreta surgiu nos pós II Guerra, foi uma maneira de reiniciar a produção industrial e ao mesmo tempo proporcionar um meio de transporte econômico na destruída Itália.

Era exatamente uma lambreta que meu pai usava para o trabalho de visitação aos membros interessados da Igreja e transporte da família para Igreja, portanto uma lambreta missionária. Minha mãe ia ao assento de traz, eu na roda, o Enos na frente.

Em certo culto de domingo, o Enos foi ao econtro do papai dizendo: a lambreta foi roubada, não está a porta da Igreja. Papai, calmamente, despediu-se de todos. Sua calma e fé eram imbatíveis e dizia: Ele sempre faz o melhor por seus filhos. Terminando de se despedir dos irmãos, convocou seus anciões para orarem pelo caso, pois precisavam da lambreta para o trabalho do Senhor. O seu distrito era grande, composto de sete outras igrejas e sua visitação aos membros era um marco do seu ministério. Após orarem, voltou para casa e dormiu tranquilo, confiante em Deus.Naquela madrugada, soou a campainha de casa e ao espreitar pela janela, papai deparou-se com a lambreta em frente de casa, devolvida sem as laterais, chamadas na época de saias. Na noite seguinte, deixaram as saias intactas novamente na porta de casa!

Meu pai tinha um grande desejo, trabalhar em uma de nossas Instituições educacionais e aqui em Hortolândia pôde realizar seu desejo missionário. Ele sempre foi um verdadeiro missionário, creio eu que muitas estrelas brilharão na sua coroa. Dia a dia recebo relatos de pessoas que receberam visitas dele em seus lares e relataram que ele transmitia a todos paz sem igual!

Você já perdeu algo? Confia tão somente em Deus, Aquele pode devolver-lhe algo muito melhor que ninguém poderá roubar: a confiança, o amor, a fé, a esperança e o melhor: a salvação.

 

Helenice de Oliveira Correa

Mora atualmente em Hortolândia com seu esposo Reinaldo Pires Correa, professora aposentada de Música, Piano, Teclado Eletrônico, Língua Portuguesa e Língua Inglesa. Atuou muitos anos como professora na Associação Paulista Sul, Unasp-HT e Unasp-SP, foi também pianista de corais e de Igrejas por onde passou. Atualmente desenvolve projetos voluntários nas áreas do ensino e do aprendizado de Língua Inglesa, com especialidade voltada para crianças de três a cinco anos e formação de grupo coral como meio de evangelização. Teve o privilégio de ser batizada por seu querido pai, pastor Edgard de Oliveira.

Os comentários estão encerrados.