Comentários da Lição 4 (4o Trim/2019) por Classe dos Pais
25/10/2019
Contraponto 2019-10 – Em busca de sentido
25/10/2019

Meditação de Pôr do Sol 25/10/2019 por Rosa Maria Silva

2019-10-25

Deus preparou o meu caminho

“Sigo com confiança no Senhor, recordo os Teus feitos, lembro-me das tuas maravilhas da Antiguidade. Considero também as todas as Tuas obras…” Salmos 77:11 e 12.

 

Minha experiência com idosos na Suíça foi enriquecedora. Conheci um senhor que atendia pelo nome de Edward Gyr, com apenas 1.46 de altura, mas com grande conhecimento na área da música. Conversávamos bastante, morava próximo às Nações unidas, um lugar de grande circulação de pessoas de todo mundo. Aos 94 anos, ex-chefe de orquestra de Genebra, ainda demonstrava grande habilidade com o violino. Comentei que que gostaria de aprender a tocar o violino. Ele me convidou para ir até sua casa, onde ministrava aulas particulares. Emprestou-me um instrumento e assim começamos a aula. Observei que vivia sozinho e às vezes preparava suas refeições. Vi, também, que gostava muito de molhos de tomate, pois havia por toda parte! Então, sugeri que eu limpasse seu apartamento e ele ficou tão entusiasmado que decidiu não me cobrar às aulas. Assim, eu teria duas horas na semana para limpar e organizar seu apartamento. Depois do trabalho feito ou das aulas, sempre tínhamos um momento para troca de experiência religiosa.

Ele tinha mais duas irmãs, que se dedicaram ao sacerdócio, eram freiras, tudo que seus pais os fizeram prometer era que eles jamais se envolveriam com o protestantismo, pois era algo ofensivo para aquela família católica. Então, ele me disse que não nos conhecemos por acaso, a última coisa que ele poderia imaginar em sua vida era ter alguém Adventista na sua casa. Três anos se passaram e em uma de suas viagens para Paris, para visitar a filha, fraturou o fêmur e permaneceu 30 dias no hospital. Nunca imaginei que a partir dali ele não seria mais o mesmo, comecei a organizar sua agenda, pois já se esquecia frequentemente de seus compromissos com alunos. Deixei meu trabalho e passei a cuidar dele por solicitação da filha, Bridgitte.

Seis meses se passaram e ele não falava mais, apenas demonstrava sensibilidade. Nas minhas orações e com hinos, eu tentava aliviar suas dores e tristeza, sempre com autorização da sua filha. Convidei o pastor para fazer um apelo. Segurando firme nas mãos do pastor e com lágrimas no rosto, confirmava cada questão feita. Sua filha, anunciando o descanso do pai, e para minha surpresa, deixou que eu preparasse uma cerimônia espiritual em homenagem a seu pai. Depois de quatro dias, marcamos a cerimônia. Todos os amigos da orquestra estavam ali e foi proferido um belo sermão. Senhor Gyr dorme, mas estou certa de que na manhã da ressurreição ele atenderá o chamado de nosso Deus.

 Rosa Maria Silva

Professora do UNASP-HT e membro da igreja do UNASP-HT desde 1990.

 

Os comentários estão encerrados.