Comentários da Lição 8 (4o Trim/2019) por Classe dos Pais
22/11/2019
Meditação diária de 23/11/2019 por Flávio Reti – João Rubinato
23/11/2019

Meditação de Pôr do Sol 22/11/2019 por Maria Leci Novo

2019-11-22

Perdido na escuridão

“Lâmpada para os meus pés e a tua palavra e luz para o meu caminho”. Salmos 119: 105

 

Vivíamos em uma cidade pequena do Rio Grande do Sul chamada Jaguarão. Éramos bons católicos indo à missa aos domingos, mas sem aprender nada de Jesus e nem da Bíblia. Contudo, eu tinha grande preocupação com a carne de porco, usada muito nesse lugar. Certo dia, alguém bateu na minha porta entregando algo de religião e eu aproveitei para perguntar a respeito da tal carne de porco. A pessoa falou que era só os Judeus que não comiam. Então continuei sem informação que tanto precisava. Hoje sei que Deus estava preparando o meu coração através do Espirito Santo.

Comíamos essas carnes e vivíamos em bailes e festas mundanas, bebíamos socialmente como se a vida fosse assim mesmo. Pouco tempo depois dessa decepção da carne, apareceu na cidade uma tenda muito linda num lugar bom e acessível a todos. Ela era azul e branca e ao seu redor tinham vários cartazes com os dizeres: “Temos curso para deixar de fumar, curso para deixar as bebidas e drogas e etc.”.

Kátia, minha filha de 12 anos na época, passou nesse local e chegou em casa muito nervosa e dizendo: “Mãe naquela tenda vão dar um curso bíblico e ao final uma Bíblia e um quadro contendo os 10 mandamentos (tenho esse quadro até hoje). E eu sou pequena não vou ganhar, você precisa assistir esse curso”. Mas eu disse que não iria tirar o lugar de outros pais que poderiam possuir vícios, porém minha filha continuou insistindo como criança faz. Eu era diarista de limpeza, e pelos meus locais de trabalho, eu tinha que ir direto para a tenda, sem passar em casa antes, para não ficar sem lugar. Eu pegava carona com caminhão, carroça ou o que dava e quando chegava sentava no 1º banco.

Minha conversão foi imediata ao me falarem da Bíblia e de Jesus. Meu coração disparou. Era o que mais queria, “matar” todas as minhas curiosidades. O meu pensamento era: “É isso que eu quero e é isso que eu preciso”. Foi um amor tão grande e foi à primeira vista. Sabia que poderia mudar o rumo da minha vida, mas não me importava. Foram exatos 60 dias de estudo com pessoas superpreparadas e que se tornaram meus amigos de frequentar minha casa.

Esse amor dura até hoje e, com a ajuda do nosso Deus, até a volta de Jesus. Esse Deus tão grandioso que usou uma criança de apenas 12 anos para me resgatar.

 

Maria Leci Novo

Sou diaconisa da Igreja UNASP-HT, tenho 63 anos e canto no Coral Chorus Dei desde 2004.

 

Os comentários estão encerrados.