Comentários da Lição 12 (1o Trim/2019) por Classe 3
22/03/2019
Semana de Oração #OPRIMEIRO com Pr. Carlos Campitelli
22/03/2019

Meditação de Pôr do Sol 22/03/2019 por Enos de Oliveira Júnior

Em direção ao céu

E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso (Lucas 23:43)

Para onde estamos indo? Qual é a nossa missão? Essas são algumas das perguntas existencialistas que podemos nos deparar. Como seres humanos, não temos condições de alcançar de forma literal o céu bíblico por nossa própria atitude. É imediato concluir que precisamos de misericórdia de Deus para sermos aceitos e então termos o privilégio de ir ao Céu.

Outras perguntas nos podem vir a mente: Como Deus vai escolher os justos? Quais critérios serão utilizados nesse julgamento? Podemos pensar que será como um processo seletivo? Seria como uma prova de vestibular onde os melhores são aprovados? Seria como uma seleção de emprego ou uma competição olímpica? Isso nos pode levar a pensar em quão rigoroso será o limiar de corte entre os aprovados e reprovados, aptos e inaptos, classificados e desclassificados.

Muitas vezes vemos pessoas julgarem a si mesmas e as outras por padrões como: roupas adequadas, alimentação, costumes, atividades de lazer e preferências pessoais. Se imaginarmos cada uma dessas questões como critérios do processo seletivo para o céu, o que vêm em sua mente? Pense agora em alguma pessoa que você conhece. Como essa pessoa está em uma escala de 0 a 10 quanto à alimentação saudável? Reflita agora sobre a sua dedicação às coisas de Deus: Quão assíduo aos cultos você tem sido?

Um dos ladrões da cruz reconheceu no seu último momento a sua condição de indignidade e Jesus prometeu que eles em breve estariam juntos. Essa história contradiz a ideia anterior de que para estar no céu precisamos ser metricamente avaliados e classificados. O ladrão da cruz teria uma pobre pontuação em muitas áreas. Ele foi salvo apenas porque acreditou, aceitou e recebeu a misericórdia divina.

Uma pessoa que sinceramente aceita a salvação não deve aproveitar da gratuidade da oferta para usar de má intensão e não cuidar das diversas áreas da vida que influenciam sua caminhada espiritual. Talvez essa seja apenas uma preocupação humana de uma mente corrupta, não sendo um problema Divino.

Devemos pensar na jornada espiritual como um escala, mas tendo em vista que a direção é mais importante que o posicionamento nela. Você tem se dedicado mais ao trabalho missionário que no ano anterior? Devemos pensar em aprimorar nosso relacionamento com Deus em cada aspecto, principalmente naqueles que estamos ignoramos.

 

Enos de Oliveira Júnior

Membro da Igreja do IASP

Os comentários estão encerrados.