UNASP News 30/10/18
30/10/2018
Novo Encontro – Novembro de 2018
31/10/2018

Meditação diária de 31/10/2018 por Flávio Reti

31 de outubro

Coelho Angorá (Oryctolagus cuniculus)

Provérbios 28:13   “O que encobre suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”

De gato angorá você já ouviu falar, mas pensa num coelho fofo! Esse coelho angorá extrapola o conceito de fofura. Sua pelagem é muito fofa e muito macia e por isso ele é muito apreciado por fãs de coelhos. Os coelhos têm sua origem na Turquia e desde lá sua lã já era utilizada para fabricação de roupas, mas eles se tornaram, desde o século XVIII, tão queridos que hoje praticamente eles só são criados para abastecer o mercado de Pets, especialmente apreciado pela classe nobre, exatamente pela beleza de seu pelo e atualmente ele é conhecido no mundo inteiro. Eles são dóceis e muito calmos, bem humorados, parecendo uma bola de lã viva. Esses coelhos são ótimos para quem tem alergia de pelos de animais, porque eles não possuem no pelo elementos alérgenos que atacam os alérgicos e asmáticos. A alimentação desse tipo de coelho deve ser rica em proteína, já que para crescer o pelo eles precisam de muita proteína. É o tipo de animal que enche os olhos de quem o observa, admira, porque além de bonito e atraente, esse tipo de coelho tem outras qualidades que fazem dele uma espécie de coelho doméstico muito famoso em todo o mundo. O nome dele, angorá, guarda uma ligação com Ankara, cidade capital da Turquia, que já foi chamada de Angorá, de onde ele provém. Inclusive outros animais que chamamos de angorá, como o gato e a cabrita, também são de lá originários. Além da beleza e da docilidade, outro fator que despertou a atenção para o coelho angorá foi sua lã que além de macia e muito apreciada ela pode ser tosada e até arrancada normalmente com a mão. Com toda essa fofura e todos esses elogios ao coelho angorá, uma coisa que você não sabia e vai saber agora pode chocá-lo: Os coelhos comem seu próprio excremento, eles defecam e depois voltam para comer suas próprias fezes porque elas possuem uma substância chamada cecotrofos que, dizem os biólogos, é muito saudável para eles.

Muito semelhante àquele homem que se converte ao evangelho e depois de algum tempo volta aos seus pecados de outrora, volta à velha vida. Para esses a bíblia tem uma outra comparação. Não com coelho que come fezes, mas com o cão que também volta para lamber seu próprio vómito (Prov.26:11) e com a porca lavada que volta a revolver-se na lama (II Ped.2:22). Com isso a gente percebe quão feio é para o homem voltar a sua vida de pecados anteriores, abandonando assim a vida de beleza e de privilégios que o evangelho lhe confere. Devemos ser inteligentes para não sermos comparados com o coelho ou com o cão e menos ainda com a porca e voltar aos pecados anteriores.

Os comentários estão encerrados.