Vídeo – Comentário da Lição da E.S. pelo Pr. Wilson Paroschi
29/09/2018
Meditação diária de 01/10/2018 por Flávio Reti
01/10/2018

Meditação diária de 30/09/2018 por Flávio Reti

30 de setembro

A Paca (Cuniculus paca)

Provérbios 16:20   “O que atenta prudentemente para a palavra prosperará e feliz é aquele que confia no Senhor”

A paca é um mamífero e é também o segundo maior roedor do mundo, menor apenas do que a capivara. É maior do que a cotia e tem as pernas traseiras mais longas, muito comum nas nossas florestas. Existe uma outra paca, chamada paca das montanhas, que vive nos Andes do Equador. Curiosamente, ela possui quatro dedos nas patas dianteiras e cinco dedos nas patas traseiras e sua cauda é um arremedo de cauda, três a quatro centímetros apenas. Sua preferência para moradia são buracos, espécies de tocas de dois metros de comprimento em forma de túnel com várias saídas de escape em caso de emergência nas proximidades de rios e áreas alagadas. Gosta de água e sabe nadar muito bem e quando se acha em perigo corre para dentro da água onde se esconde. Ela não é muito sociável, prefere viver solitária na mata, não gosta de outra paca por perto, mesmo que seja “paco”. Ela normalmente passa o dia na toca e sai à noite e com isso a criação de pacas em cativeiro fica mais difícil. Elas comem muito, se alimentam de folhas, talos, raízes e frutas caídas pelo chão onde passam. Os caçadores montam um jirau de madeiras e fazem embaixo dele uma ceva para atrair as pacas e depois de alguns dias eles montam plantões em cima do jirau e matam as pacas quando elas se aproximam para comer o que foi deixado na ceva, mas nem sempre matam para comer, embora sua carne seja muito apreciada, mas porque elas causam muito estrago nas roças, especialmente na cultura de mandioca, batata, milho, abóboras entre outras plantas. A paca se parece um pouco com a cotia e até com a capivara, mas tem características bem diferentes. Ela chega a ser quase como um ratão da floresta. Na linguagem dos índios, o tupi-guarani, paca significava “ficar alerta”, exatamente pelo comportamento arredio e suspeito do animal. Para apanhá-la, só mesmo cevando e montando plantão à noite para apanhá-la com tiros de espingarda.

O animal é muito desconfiado, só se aproxima depois de se certificar de que está seguro. Ela não olha para cima e por isso não vê o caçador empoleirado no jirau pronto para atirar nela quando se aproximar uma distância de tiro seguro. Semelhante à paca, há muitas pessoas que desconfiam de tudo nesta vida, inclusive do próprio Deus. Não confiam em Deus e por isso mesmo, como a paca, acabaram mortos um dia nas mãos do inimigo das almas, o próprio satanás. Confiar em Deus é uma atividade que a gente aprende e desenvolve. Logo, vamos aprender a confiar em Deus e assim salvar nossa vida.

Os comentários estão encerrados.