Livro: “O PODER DA ESPERANÇA – Segredos do Bem-Estar Emocional”
29/05/2018
TV Novo Tempo em Canal Aberto
30/05/2018

Meditação diária de 30/05/2018 por Flávio Reti

30 de maio

A vespa (Pepsis fabricius)

Salmo 91 :2   “Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio”

Quem já levou uma picada de vespa ou marimbondo sabe que essa experiência pode ser bem traumática e dolorosa. No entanto, não podemos negar que esses insetos são criaturas fascinantes e que existem espécies com aparências bem bizarras, algumas inclusive podendo ser extremamente perigosas — e até fatais — para os humanos. Há centenas de vespas diferentes, curiosas, bizarras e cada uma ensina alguma lição. Pensando assim, procurei uma vespa que fosse uma curiosidade, deixando de lado sua periculosidade. Veja como exemplo a vespa do gênero Colletes. Os pesquisadores, baseando-se em testes químicos, descobriram que essas vespas produzem um tipo de saquinho para suas larvas. E por incrível que pareça, esses saquinhos são feitos com o mesmo material encontrados em sacos plásticos e bolsas que pegamos nos supermercados e nas lojas. A gente fica fascinado ao saber que essas criaturas conseguem produzir essa substância complexa como é o plástico. Uma pesquisadora de nome Susane Batra iniciou seus estudos com a vespa Colletes. De início ela pensou que os saquinhos eram feitos de uma secreção da boca da vespa, mas ela descobriu que a substância é produzida no ferrão e depois lambidas as gotículas e em seguida esparramadas como um plástico transparente no local onde o saquinho está sendo fabricado. O produto acabado, final, é do tamanho de uma bolinha de gude, um pouco mais cilíndrico e com uma abertura em um dos lados. Em seguida a vespa enche esse recipiente com pólen e néctar e um ovo. Depois o saquinho é lacrado. Ela trabalha algumas horas até terminar a obra, mas depois de feito, o saquinho plástico fica totalmente impermeável para líquidos de modo que o ovo e a alimentação da larva ficam conservados e secos, ainda que todo o ambiente ao redor esteja encharcado pelas chuvas. O filhote da colletes estará sequinho e protegido de outros animais e de fungos predadores. Quando menino, conhecia uma vespa que fazia casa no chão e quando ela entrava na casinha, eu aparecia com uma caixa de fósforo meio aberta e punha na frente do buraco. Quando ela saía, fatalmente entrava na caixinha e eu a prendia para ficar escutando seu zumbido ali dentro. Eu não protegia vespas, eu prendia as vespas.

Se cremos que Deus criou todas as coisas e que Ele provê proteção para suas criaturas, não podemos ter dúvidas em acreditar que nosso criador, nosso Senhor e Mestre, Jesus Cristo, irá certamente nos proteger e nos guardar de todos os perigos que possam nos advir. Se Jesus assim protege as vespinhas, não irá ele muito mais nos proteger?

Os comentários estão encerrados.