Meditação diária de 26/07/2018 por Flávio Reti
26/07/2018
Culto Divino com Pr. Marco Lamarques – 28/07/18
27/07/2018

Meditação diária de 27/07/2018 por Flávio Reti

27 de julho

O peixe (Amphiprion frenatus)

João 6:9   “Eis aí um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos…”

Todo mundo já viu um peixe, logo, não é muito necessário descrever o peixe, mas se sabe que é um animal vertebrado aquático que possuem os membros em forma de barbatana. Os peixes são recursos importantes na economia, principalmente como alimento e são também capturados pelos pescadores recreativos, mantidos como pets, criados por aquaristas e expostos em aquários públicos para visitação e lazer. Ao longo da vida, os peixes já serviram de divindades, de símbolos religiosos, temas de arte e motivos de livros e filmes. Não temos como saber de que tamanho eram aqueles peixinhos com os quais Jesus realizou a multiplicação dos pães e dos peixes suficientes para alimentar mais de 5.000 pessoas. Lógico, ele é o criador e estava fazendo exatamente aquilo que faz todos os dias, sustentando e multiplicando todas as coisas para prover alimento, não apenas para milhares, mas para bilhões de vidas que existem no planeta terra apenas. Às vezes pensamos no poder de Deus em coisas grandes, como os mundos no espaço, mas ele cuida de coisas pequenas também, como os peixinhos que ele cuida do mesmo modo como cuida das coisas grandes. Todos sabem que o maior peixe do mundo é o tubarão, que chega a medir 18 metros e a pesar 15 toneladas, realmente enorme, mas você sabe qual é o tamanho adulto do menor peixe do mundo? Ele vive nas Filipinas e mede apenas 0,6 centímetros e, por acaso, é o menor animal vertebrado do mundo. Seria necessário quase mil desses peixinhos para equivaler em peso a uma moeda de um real, sabendo que são transparentes exceto os olhos e as barbatanas.

Agora pense no cuidado de Deus. Ele que alimentou milhares nas colinas da Judeia, também está disposto, ainda hoje, a alimentar os bilhões que vivem atualmente sobre a face da terra. Se você algum dia se achar nas ruas movimentadas de uma grande cidade, observe a multidão indo e vindo e pense no seguinte: Na hora do almoço todas aquelas pessoas vão querer almoçar. De um jeito ou de outro todas elas almoçam e também jantam. De onde vem o alimento suficiente para todas elas? Agora multiplique a multidão que você viu nessa cidade pela quantidade de pessoas que existem no mundo, (passa de 7.5 bilhões de habitantes) e todos comem todos os dias. De onde vem essa brutal quantidade de alimento necessário para apenas um dia? Multiplique mais uma vez pelos 365 dias do ano. De onde vem tanto alimento, se não for das mãos do criador, do seu amor por nós?

Os comentários estão encerrados.