Contraponto: “Refugiados” – 30/06/18
26/06/2018
Meditação diária de 28/06/2018 por Flávio Reti
28/06/2018

Meditação diária de 27/06/2018 por Flávio Reti

 

27 de junho

O Lobo Guará (Chrysocyon brachyurus)

I Samuel 2:4   “Os arcos dos fortes estão quebrados e os fracos são cingidos de força”

Você já leu sobre os lobos no dia 31 de março, mas este lobo guará é diferente dos lobos em geral. Ele é encontrado apenas na América do Sul. Ele se parece com um cachorro com as pernas compridas e finas, com a aparência de magro, morrendo de fome, mas muito ágil para subir morros e montanhas. As pernas longas e finas favorecem na hora de saltar sobre a presa quando está caçando. É um animal carnívoro, mas na falta de carne ele se vira com raízes e algumas frutas. O nosso lobo guará prefere viver solitário, não em alcateias como fazem os demais lobos do mundo e preferem a noite para caçar. Eles estão em extinção devido às doenças transmitidas pelos cães domésticos, pela destruição das florestas e pelos atropelamentos nas estradas que cortam as matas de seu habitat. Ele é um animal tranquilo, normalmente não ataca pessoas, mas pode atacar se for encurralado e para se defender quando é preso em armadilhas. Famosos por uivar nas noites de lua cheia e por esse fato muitas lendas se tecem a respeito dos lobos. Lembra da história do “chapeuzinho vermelho”? O lobo mau que foi o vilão da história? Mas há histórias de lobos bons, como a história, mais lenda do que história, da fundação de Roma, quando os fundadores Rômulo e Rêmulo foram abandonados e alimentados na mata por uma loba e se transformaram nos grandes guerreiros que fundaram a cidade de Roma. Espiritualmente falando, eu aprendo com os lobos guarás uma boa lição: eles têm as pernas finas, aparência de magros, mas estão sempre preparados para caçar, se defender e sobreviver. Eles não precisam de uma aparência de animais robustos para impressionar. Assim também os cristãos, filhos de Deus, aparentemente criaturas frágeis, mas amparadas pela presença de Cristo na vida elas se tornam fortes para vencer todo o mal. “Coisa alguma é aparentemente mais desamparada, e na realidade mais invencível, do que a alma que sente o seu nada, e confia inteiramente nos méritos do Salvador. Pela oração, pelo estudo de Sua Palavra, pela fé em Sua constante presença, a mais fraca das criaturas humanas pode viver em contato com o Cristo vivo, e Ele a segurará com mão que nunca a soltará” (DTN,p.182). Ninguém é fraco quando tem Cristo ao seu lado e ninguém é forte quando se afasta de Cristo. Não é necessário excesso de inteligência para entender essa grande verdade.

Os comentários estão encerrados.