Meditação diária de 25/04/2018 por Flávio Reti
25/04/2018
Meditação diária de 27/04/2018 por Flávio Reti
27/04/2018

Meditação diária de 26/04/2018 por Flávio Reti

26 de abril

O peixe-boi (Trichechus Manatus )

Romanos 14:7   “Porque nenhum de nós vive para si e nenhum morre para si”

Na verdade não é peixe. É um animal mamífero que vive na água, mas sai à superfície de vez em quando para respirar, a cada 5 minutos mais ou menos. Podemos dizer que é um mamífero de água doce, no caso, os rios da Amazônia. Lá, na região amazônica, ele é conhecido como guarabá. Um peixe-boi adulto, da Amazônia, chega a pesar 300 quilos e ter 2.5 metros de comprimento, mas há os peixes-bois marinhos que chegam a pesar 600 quilos e a medir 4.5 metros.  É um animal de vida solitária, raramente visto em grupo ou casal. Ele se alimenta, assim como o boi fora da água, de capim da beira dos rios e de outras plantas aquáticas. Ele tem vida longa, chega a 45 anos, o que para um mamífero com hábitos de peixe é muito. Essa espécie está em franca extinção, devido à pesca predatória e aos ferimentos nas hélices dos barcos. Por ser animal dócil, eles se aproximam dos barcos e das pessoas e aí ocorre o extermínio. Na Amazônia Brasileira ele é muito caçado pela sua carne. Os nativos da região não respeitam a legislação e os caçam sem escrúpulo, despreocupados se vai acabar ou não.

Que lição o peixe boi me deixa e que me possa ajudar? Ele é um animal dócil que gosta de se aproximar das pessoas. A docilidade é uma característica desejável nas pessoas porque, como com o peixe boi, isso facilita a aproximação de outras pessoas. Especialmente nós, os cristãos, não podemos admitir que nossa presença afaste as pessoas do nosso convívio. É difícil, mas temos que aprender a viver em sociedade, juntos e perto uns dos outros. A coisa mais difícil nesse mundo é aprender a conviver com as pessoas. Viver bem com os demais é uma arte que deve ser desejada por todos. A vida por si já é um fardo pesado, se for mal vivida será ainda pior, por isso todos devemos aprender a conviver com as pessoas e se aproximar delas para, de algum modo, ajudar e, se possível, encaminhá-la para Jesus, quem a pode salvar. Pode ser que você não conheça o peixe-boi, mas sabe o que é relacionamento pessoal. Estamos inseridos num contexto e as ações humanas se cruzam aqui e ali. Precisamos viver com os demais e viver bem, essa é a grande arte da vida.

Os comentários estão encerrados.