Feliz Natal 2018
24/12/2018
Meditação diária de 26/12/2018 por Flávio Reti
26/12/2018

Meditação diária de 25/12/2018 por Flávio Reti

25 de dezembro

Xaputa Galhuda (Taractichthys longipinnis)

Isaías 53:2   “…não tinha formosura nem beleza e quando olhávamos para ele, nenhuma beleza víamos para que o desejássemos”

Esse nome muito estranho se refere a um peixe que às vezes também é chamado de freira-do-alto, um peixe marinho que habita grandes profundidades abaixo dos 500 metros. Seu tamanho máximo já encontrado foi de um metro, mas a característica marcante é uma de suas barbatanas ser tão comprida quanto o comprimento do restante do corpo. A barbatana da cauda é bifurcada, enquanto as barbatanas peitorais são em forma de gadanha. Gadanha é aquela espécie de foice em forma de lâmina usada para cortar feno, às vezes usada como símbolo da morte, ou a morte sempre aparece com uma foice, a gadanha. Os olhos são grandes e dourados, as escamas são serrilhadas o que o torna áspero e não liso como se espera dos demais peixes. Na boca ele tem não uma fileira de dentes, mas várias fileiras de dentes com os quais ele devora camarões e outros pequenos peixes. Não é um peixe bonito, é até um tanto feio, mas é muito consumido na Europa porque dizem que sua carne é muito saborosa. Pela sua aparência escura deram-lhe também o nome de Freira-do-alto, talvez uma metáfora por causa do hábito escuro e preto usado pelas freiras nos conventos. Maldade do povo! É comum, no uso popular, de tudo que causa alguma estranheza ganhar algum apelido. Se é branco, já o chamam de “alemão batata”, se é muito preto, já o chamam de negro-aça, se for baixinho, já o chamam de banquinho, se for alto e magro, já o chamam de vara de cutucar a lua, se for careca, já o chamam de pouca telha e por aí vai. O pobre peixe, nem conhecido é da população e já ganhou um apelido jocoso de freira-do-alto, talvez porque os conventos, onde as freiras se recolhem, sempre ficam no alto das colinas. Aliás, o nome do nosso peixe de hoje lembra um palavrão nada agradável.

Nem Jesus escapou de ganhar apelidos e não foi só um, ele teve vários: filho do homem, filho do carpinteiro, filho de Belsebu, homem de dores, jesus de Nazaré, cordeiro de Deus, o Nazareno, Leão da tribo de Judá, Rei dos reis, Siló, e dezenas de outros. Nosso peixe apesar de feio e de nome jocoso, ele é muito apreciado nas mesas portuguesas. Assim também, a bíblia diz que apesar de Jesus ser insultado e muitas vezes humilhado, “Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Fil.2:9-11). Muita coisa pode ser revertida e muita coisa não é como a gente pensa. Há propósitos mais sublimes por trás dos nomes das pessoas e muitas vezes das próprias pessoas.

Os comentários estão encerrados.