33º Encontro de Ex-Alunos UNASP Hortolândia – 01 a 03/06/18
24/04/2018
Meditação diária de 26/04/2018 por Flávio Reti
26/04/2018

Meditação diária de 25/04/2018 por Flávio Reti

25 DE ABRIL

Pega (Pica pica)

Apocalipse 22:12 “Eis que cedo venho e está comigo a minha recompensa, para retribuir a cada um segundo a sua obra”

Pega é uma ave canora, muito conhecida na Europa, que os aficionados gostam de aprisionar em gaiolas por causa do seu canto, que cá pra nós, não é mais bonito do que o canto do nosso canarinho brasileiro. Ela é bonita de cor preta e branca, com rabo longo, mas nós temos a araponga e a gralha que tem as mesmas cores e também são muito bonitas.

Rabo longo não nos impressiona, nós temos o anu-preto, o anu-branco, a arma-de-gato, a tesourinha e outras que também têm rabo longo. O pega pertence à família dos corvos, pelo seu porte e pelo modo de andar. Têm o bico forte o suficiente para bicar, além de insetos, até carniça. O pega tem a reputação de ladrão, de gatuno fascinado por objetos brilhante e tudo que rouba esconde como se fosse um tesouro, porque já foram encontrados em seus ninhos objetos brilhantes de metal, não necessariamente ouro ou prata, mas que nada tem a ver com alimento ou conforto. É um pássaro elegante, de olhos brilhantes e parece estar sempre vestido com roupas a rigor. Quando anda saltando pelo chão, sempre empina o rabo para não sujar com poeira. Raramente apresenta mau humor e até certo ponto é um pássaro sociável e pode até ser treinado para imitar a voz humana. Seu canto é um tipo de tagarelagem barulhento. Gostam de viver em bandos de 200 ou mais.

Eu me pus a pensar como um pássaro pode desenvolver a fama de gatuno, ladrão. Depois transferi meu pensamento para pessoas aparentemente normais, excetuando as que possuem algum desvio de comportamento sociável, as deficientes do são juízo. Mas há pessoas fascinadas pelas coisas que não lhes pertencem e muitas vezes, sem qualquer escrúpulo, se apropriam do que é dos outros. Isso é roubo. E podemos afirmar, com certeza, que no céu não entrarão tais pessoas. João é claro, no livro de Apocalipse, que “não entrará nela (na cidade de Deus) coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira, mas somente os que estão inscritos no livro da vida do cordeiro” Apoc. (21:27).

Deixe que o pássaro pega continue com seus hábitos de gatuno, mas nós devemos nos preocupar para nunca incorrer nessa categoria, afinal, vamos ficar de fora da cidade de Deus por quê? Nada nesta vida compensa perder o céu, a vida eterna.

Os comentários estão encerrados.