Pesquisa Divisão Sul Americana 27/10/2018
22/10/2018
Dia da Educação 27/10/18
23/10/2018

Meditação diária de 23/10/2018 por Flávio Reti

23 de outubro

O Mandril (Mandrillus sphinx)

I Pedro 3:3   “O vosso adorno não seja o enfeite exterior, como as tranças dos cabelos, o uso de joias de ouro ou o luxo dos vestidos”

Até agora, mandril, que você talvez, conhecia, era uma ferramenta usada nas furadeiras para prender as brocas. Mas de agora em diante você passa a saber que existe uma espécie de macaco com o nome de mandril. O mandril é um dos macacos mais coloridos da floresta. Apresenta o nariz vermelho, com as beiradas azuis, bigode branco e a barba alaranjada. Os machos são ainda mais coloridos do que as fêmeas. As cores observadas na cara do mandril se repetem no seu traseiro e isso ajuda para serem identificados na floresta porque eles ficam visíveis para os demais do bando. A pelagem dele tem uma cor de oliva.  Eles podem ser encontrados sempre em grupos que chegam a 800 indivíduos, compostos de fêmeas, um adulto dominante e os restante de jovens. Os demais adultos que não são dominantes no grupo, que não lideram grupos, andam separados do grupo e solitários. Seu habitat é nas florestas do Gabão, Camarões, na África. Quando se sente ameaçado por um rival ou por um predador, o mandril escancara a boca e exibe os dentes caninos enormes e afiados com 6 centímetros de altura. Até as panteras, terríveis e violentas, se recusam atacar um mandril que esteja perto do bando ou atacar uma mãe com cria. Eles comem de tudo, de insetos a outros mamíferos, répteis e caracóis e na falta desses come plantas e frutas. Não se sabe até que idade vivem, mas se sabe que em cativeiro eles chegam a 45 anos de vida. Se você já viu algum macaco pendurado pelo rabo, esse você nunca vai ver, porque o rabo do mandril é um cotó de alguns centímetros apenas. Lá na África, onde eles são encontrados, algumas pessoas os caçam para comer e com isso eles vêm diminuindo em números.

Eu me ponho a observar alguns homens, na nossa sociedade, que já andam pendurando enfeites nas orelhas, se depilando, fazendo maquiagem ou pintando o cabelo, muitos fazem tatuagens para se parecerem mais elegantes. Será que eles aprenderam tudo isso com os mandris lá da África? Ou de onde tiraram essas ideias de que os homens devem se embelezar com cores e traços diversos? A mim me parece que não fica bem, embora esteja tudo muito natural com os mandris machos, o homem deve mesmo é trazer na face as marcas de sua criação. Ele foi criado perfeito, pouco menos do que os anjos do céu (Sal.8:1,2) e não tem necessidade de se enfeitar. Com os macacos, tudo bem, mas com os homens…

Os comentários estão encerrados.