Semana Santa 2018 – de 23 a 31 de março
21/03/2018
Culto Divino com Pr. Helbert Almeida – 24/03/18
22/03/2018

Meditação diária de 22/03/2018 por Flávio Reti

22 de Março
O Lagarto (Ameiva ameiva)

Mateus 18:8   “Se, pois, a tua mão ou teu pé te fizer tropeçar, corta-o e lança-o de ti”

Os lagartos pertencem ao grupo dos répteis e têm o corpo coberto de escamas ou placas, semelhantes aos peixes, e não têm pelos ou penas. Os biólogos contam mais de 3.000 espécies de lagartos, desde os pequenos de alguns centímetros até os grandes de 3 metros, como o dragão de Komodo. Eles estão no mesmo grupo das iguanas, dos camaleões, das lagartixas, inclusive o nosso conhecido lagarto Tiú, grande comedor de ovos nos galinheiros. Uma curiosidade dos lagartos é que eles são animais de sangue frio e por isso eles procuram sempre um lugar mais quente e com frequência os encontramos em cima de alguma pedra se aquecendo. Sua moradia é em baixo da terra, nas árvores, mas alguns passam a maior parte do tempo na água. Diferente das cobras, os lagartos têm pálpebras e orelhas. Há lagartos que possuem chifres e até espinhos e outros ainda tem uma espécie de pregas nas laterais do corpo e conseguem voar e planar no ar quando pulam de uma árvore para outra. Alguns lagartos são venenosos, como o monstro-de-gila dos Estados Unidos e o lagarto-de-contas do México. Quando um lagarto quer intimidar alguém ou um inimigo, ele se infla de ar dando a aparência de maior, mais poderoso e quando agredidos eles dão rabanadas, batem com o rabo violentamente que chegam a ferir os cães. Alguns lagartos têm a capacidade de soltar a cauda quando atacado e, enquanto a cauda fica se contorcendo, ele foge do predador. Depois a cauda se regera e nasce uma outra novinha em folha. Os lagartos são ovíparos, isto é, põem ovos como galinhas. Algumas pessoas comem a carne dos lagartos normalmente.

A lição que fica é quando ele se desfaz do rabo para escapar do predador. Jesus disse que “é melhor entrar para a vida eterna aleijado do que tendo mãos e pés e ser lançado no fogo eterno” (Mat.18:8,9). Essa característica de poder se desfazer de alguma coisa que o prende, que o põe em perigo, deve servir de lição para nós que estamos caminhando para o céu. Nada deve nos deter ou atravancar nossa caminhada rumo ao lar. Devemos ser sábios para deixar para trás tudo que nos impede de chegar ao reino dos céus. É mais uma habilidade na vida espiritual que podemos aprender com os lagartos.

Os comentários estão encerrados.