Encontro Regional de Médicos Adventistas – 12/05/18
17/04/2018
Meditação diária de 19/04/2018 por Flávio Reti
19/04/2018

Meditação diária de 18/04/2018 por Flávio Reti

18 de abril

O Panda Gigante (Ailuropoda melanoleuca)

Romanos 12:2   “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis, qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”

Quando se fala em urso panda a gente pensa logo em ursinho carinhoso, fofinho, mas não é nada disso. O urso panda gigante chega a pesar 100 quilos e medir 1.5 metros de altura. Ele é originário das montanhas da China onde dividia o território com os elefantes gigantes. São herbívoros, normalmente só comem folhas e caule de bambu, gostam do clima frio do alto das montanhas. Tem o corpo extremamente flexível, podendo se curvar em qualquer direção e de qualquer jeito. Ah! Ele é um dos únicos mamíferos que consegue “plantar bananeira” e andar com as patas dianteiras. Suas unhas são pontiagudas e compridas, sua arma de defesa especial. Olhando sua pelagem parece macia, mas puro engano, seus pelos são grossos e duros e podem medir 5 centímetros. Se ele não encontrar bambu para comer, ele não se aperta, come raízes, flores, frutos de outras plantas e caules. Se quiser somar, um panda come dia e noite e chega a comer 4 toneladas de folhas e caule de bambu em um ano. As patas dianteiras do panda é muito semelhante à mão humana e ele pega os alimentos como nós pegamos. Também semelhantes a nós, eles têm duas dentições, uma de leite e outra definitiva. O povo chinês é muito orgulhoso de ter o panda no seu país e fizeram dele o símbolo nacional do país. Até a ONU comprou a ideia e escolheu o urso panda para simbolizar a organização World Wild Life, WWF (Fundo Mundial para a Vida selvagem), uma das organizações mais importantes na proteção dos animais no mundo.

Eu não sou chinês e o que vou aprender com um panda? Lembra que quando ele não encontra bambu, ele come qualquer coisa? Ele é adaptável às circunstâncias da vida. Exatamente isso que nós não podemos ser. Se nós, crentes, nos acomodarmos ao mundo, em pouco tempo estaremos semelhantes ao mundo. Precisamos ter em mente que nossa pátria está no céu e é lá que deve estar nossa afeição. Eu não posso me conformar com as coisas deste mundo, porque em breve ele passará e nós estaremos para sempre com o Senhor nos céus, se não nos acomodarmos a este mundo falido e perdido. O mundo passa e com ele passará também os que se amoldarem a ele. Nossa modelagem deve ser com os parâmetros do céu, nossa futura pátria eterna.

Os comentários estão encerrados.