Comentários da Lição 7 (1o Trim/2018) por Pr Sérgio Monteiro e amigos
16/02/2018
Meditação diária de 18/02/2018 por Flávio Reti
18/02/2018

Meditação diária de 17/02/2018 por Flávio Reti

17 DE FEVEREIRO

Eqdinas (Tachyglossus aculeatus)

Isaías 65:21 “E eles edificarão casas e as habitarão, plantarão vinhas e comerão de seu fruto”

 

É um animal nativo da Austrália e Nova Guiné. E é mais um mamífero que põe ovos. É um animal semelhante ao ornitorrinco de corpo comprido e arqueado. Tem a cabeça pequena e não apresenta pescoço. Rabinho curto e grosso, o focinho tem a metade do tamanho da cabeça. Em cada membro possui 5 dedos com unhas largas, duras e retas, feitas para escavar. Eles têm, assim como os galos, um esporão nas patas traseiras, mas não tem veneno. Os olhos ficam quase em cima do focinho evitando que enxerguem dos lados, por isso mesmo sua visão é mais para frente. Eles não possuem orelhas e os machos não têm escroto e os testículos ficam alojados internamente. Eles não têm dentes, mas têm a língua comprida e grudenta, pegajosa. Eles se parecem um pouco com os ouriços porque seus pelos do corpo são espinhos que chegam a 6 centímetros. Mas por baixo dos espinhos eles têm pelagem meio preta, meio marrom escura. Os eqdinas não possuem abrigo fixo, onde der eles se escondem e também não têm um território definido, nem local preferido para fazer seus ninhos. São meio nômades sem paradeiro fixo. Eles se alimentam quase que exclusivamente de formigas e cupins, mas não dispensam minhocas, larvas de besouros, de mariposas. Para comer, eles esticam a língua comprida e pegajosa e quando está cheia de formigas ou cupins, eles recolhem com areia, folhas e cisco para facilitar a digestão.

A característica dos eqdinas que nos chama a atenção é eles não possuírem um abrigo fixo e não ter um território seu definido. Quando uma pessoa não tem um local definido para morar, uma casa, um lar, ele não tem referências para dar, não tem para onde voltar. Ele nunca vai poder dizer que está indo para casa.Isso nos lembra os remanescentes de Deus aqui nesta terra. Aqui não é nosso lar, aqui não é nosso lugar. Estamos de passagem rumo à cidade celestial onde viveremos para sempre na presença de Jesus. Ainda mais quando sabemos que essa vida é passageira e não vai além de uma oportunidade para alcançarmos a vida eterna na volta de Jesus. Lá edificaremos casas para morar e plantaremos para comer do fruto de nossas mãos. Até lá, até aquele dia, vamos manter a fé e sempre viva a esperança, porque o céu é nosso destino, nosso endereço eterno. Essa vida é muito incerta, só a vida eterna é certa.

Os comentários estão encerrados.