Meditação diária de 14/11/2018 por Flávio Reti
14/11/2018
Sorteio de livros no ContraPonto 2018-11
15/11/2018

Meditação diária de 15/11/2018 por Flávio Reti

15 de novembro

Clown Frogfish (Antennarius Maculatus)

I João 4: 12   “Ninguém jamais viu a Deus; se nós amamos uns aos outros, Deus permanece em nós e o seu amor é em nós aperfeiçoado”

Se não puser atenção, não dá para saber que se trata de um peixe. Se tentar traduzir o nome, vai dar uma coisa mais ou menos assim: peixe rã palhaço, e realmente não dá pra definir de pronto se é um peixe ou se é uma rã esquisita.  Mas o peixe clown frogfish é apenas um das vinte e cinco espécies parecidas entre si e que habitam os oceanos. Ele é de água salgada e tem vários nomes, todos em línguas estrangeiras que não vale a pena escrever aqui. Como você pode ver pela foto, esse peixe se parece mais com uma pedra ou até um pedaço de coral. Esse disfarce o torna mais difícil de ser achado pelos predadores em potencial, porque fica difícil descobri-lo e se certificar de que é peixe e não pedra. A coloração deles pode variar muito, e eles podem ser encontrados de várias cores diferentes, mas sempre com a aparência de pedra pintada a propósito. Mas esse peixinho tem a capacidade de mudar de cor, assim como o camaleão, e se parecer com o seu habitat, seja ele pedra, musgo, coral, mas normalmente junto às esponjas do mar. São peixes pequenos que não passam de dez centímetros e semelhantes a outros, eles também podem andar no fundo do mar usando suas nadadeiras como pernas. Na natureza, longe dos aquários, eles ficam tocaiados, na espera de suas presas usando sua camuflagem e permanecendo imóvel. Quando seu jantar se aproxima perto demais, este peixe abocanha-o e o engole inteiro. Ele tem a boca grande, assim ele consegue engolir outro peixe quase do seu próprio tamanho. Como ele não tem dentes, ele engole inteiro e espera os sucos digestivos fazerem o serviço de digerir a presa. O corpo do peixe frogfish é cheio de pelotas e caroços coloridos que dão essa aparência estranha.

Esse é uma das criaturas existentes na natureza da qual dificilmente você já ouviu falar, muitas outras ainda existem que nós ignoramos. Aposto que mais de 10% dos animais citados neste devocional é desconhecido para você e inclusive para mim. Pouco sabemos da natureza e muitas vezes queremos discutir a natureza de Deus. É um atrevimento humano querer saber além da nossa capacidade e da nossa possibilidade. Sempre pensei que saber menos do que está revelado é ignorância, mas querer saber mais do que está revelado é cavilação, é especulação. Mas o ser humano, na sua estupidez quer explicar a natureza de Deus. A revelação apenas diz que Deus é amor e isso nos deveria bastar.

Os comentários estão encerrados.