Meditação diária de 13/12/2018 por Flávio Reti
13/12/2018
Programação de Férias da Igreja
14/12/2018

Meditação diária de 14/12/2018 por Flávio Reti

14 de dezembro

A Lampreia (Petromyzon marinus)

I Coríntios 3:16,17   “Não sabeis vós que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá…”

Lampreia é o nome que se dá a um animal de água doce que não se sabe se é peixe ou se é uma enguia ou uma sanguessuga. Não tem cabeça e nem maxilar formando a boca. A boca é a transformação de uma ventosa circular da mesma espessura do corpo reforçada por uma aro cartilaginoso dando a impressão de que o animal foi cortado ao meio. Em cima dessa coisa redonda que acaba sendo a boca, ela tem uma única narina, caso único entre os animais vertebrados. Ela tem também alguma coisa parecida com um olho, mas que não tem pálpebra, não pisca, e não possui músculo para movimentar esse olho. Muito estranho! Não tem guelras, não tem brânquias, mas tem barbatana na ponta do rabo o que lhe dá a impressão de ser um peixe, mas quando se olha pela frente dá a impressão de ser sanguessuga. Elas nascem em água doce, demoram até sete anos em estado larval e quando chegam ao mar se transforma em adultas. Depois voltam para algum rio novamente para se reproduzir e em seguida morrer. Mas antes de morrer, elas tomam providências com seus ovos. Elas os enterram em ninhos cavados no fundo do rio e ali os depositam e deixam que a sorte cuide deles. Ah! Se você tem uma ideia do que é cromossomo, a lampreia tem 174 cromossomos. E você está pensando que é um animalzinho minúsculo, mas não é. A larva da lampreia pode medir dez centímetros, enquanto o animal adulto chega a um metro e vinte centímetros. Algumas lampreias se fixam em algum peixe grande e conseguem furar a pele do peixe e vivem sugando o sangue do infeliz peixe e assim elas se alimentam e se locomovem, passeando junto com o peixe. Os pescadores usam-na como iscas para pegar outros peixes maiores, cortam-na em gomos, como se estivessem cortando uma linguiça grossa e usam como isca. Em Portugal, as lampreias são consideradas uma iguaria muito especial na culinária portuguesa. Os portugueses preferem-na como guisado acompanhado de arroz, outros preferem-na assada no espeto ou em forma de escabeche.

Comer sempre foi um problema para a humanidade. O pecado entrou no mundo com Eva comendo do fruto proibido. Durante o êxodo Deus deu instruções específicas dos animais limpos e imundos que o homem poderia ou não poderia comer. Hoje, as indústrias de alimentos se encarregam de produzir quimicamente muitos dos alimentos que o povo come e assim vamos nos afastando cada vez mais do alimento sadio, natural, oferecido por Deus ao criar o homem: frutas, verduras e sementes. Muitas vezes esquecemos de que nosso corpo é o templo do Espírito Santo (Romanos 12:1)

Os comentários estão encerrados.