Comentários da Lição 02 (3o Trim/2018) por Profª Ana Kelly Ribeiro
13/07/2018
Meditação diária de 15/07/2018 por Flávio Reti
15/07/2018

Meditação diária de 14/07/2018 por Flávio Reti

14 de julho

A jiboia (Boa constrictor)

João 13:34   “Um novo mandamento vos dou, que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros”

A jiboia é uma cobra relativamente grande e mete medo, muito medo, nas pessoas, felizmente, porém, ela não é venenosa. É a segunda maior cobra existente no Brasil, a primeira é a sucuri. Uma jiboia chega a medir 15 metros de comprimento e uns 30 centímetros de diâmetro. Seu método de matar suas presas é por estrangulamento, constrição. Ela vai apertando até matar e depois come sossegadamente. Há uma lenda que diz que se o indivíduo pegar uma cabeça de jiboia e usar como colar, ele fecha o corpo e nenhum mal lhe acontece. Eu, pelo menos, nunca vi alguém com uma cabeça de jiboia pendurada ao pescoço, logo, não passa de mais um mito. A jiboia é um animal pacífico que nunca ataca o homem, ao contrário, ele sempre foge dele. Normalmente ela vai tentar fugir, mas se não puder, ela simplesmente vai se defender. A jiboia costuma dar um assovio agudo, chamado de bafo de jiboia, quando ameaçada e junto com ele expelir seu hálito que pode provocar feridas e manchas na pele. Quando ela engole algum animal meio grande, ela entra em letargia durante semanas e até meses, até digerir o animal engolido. Ela se alimenta de ratos, galinhas, coelhos e até cães. Detecta suas presas pelo movimento e pelo calor emitido e sabe ficar à espreita quanto tempo for necessário até conseguir sua refeição. Há quem goste de criar em casa uma jiboia como seu pet e exibir para os amigos seu bichinho de estimação só para ver o susto e ouvir o grito de horror.

Prende-me a atenção o fato dela entrar em letargia quando está com a barriga cheia. Algo parecido com o que acontece com muitas pessoas. Quando estão bem, tendo tudo na vida, elas se afastam de Deus e entram em letargia espiritual. Como a jiboia que procura um local afastado e isolado para ficar enquanto digere a presa, assim muitas pessoas, se afastam e ficam isoladas. Não querem se encontrar com ninguém da igreja, preferem ficar isoladas e evitam o contato com os irmãos. Na vida espiritual, o convívio é muito saudável, os irmãos se fortalecem na fé quando se reúnem para um lazer, uma confraternização e quando vão juntos à igreja prestar culto a Deus. Não podemos ser como a jiboia, afinal, o homem é um ser por excelência gregário, isto é, que vive em sociedade. Ninguém é uma Ilha, precisamos do calor e do amor uns dos outros.

Os comentários estão encerrados.