Meditação diária de 12/09/2018 por Flávio Reti
12/09/2018
Semana de Oração “Transformados”: Santa Ceia 14/09/18
13/09/2018

Meditação diária de 13/09/2018 por Flávio Reti

13 de setembro

A Lava-pés (Solenopsis saevissima)

Hebreus 12:14   “Segui a paz com todos e a santificação sem a qual ninguém verá o Senhor”

Quando se fala em lava-pés, a primeira lembrança que vem à mente é da cerimônia religiosa na qual os crentes lavam os pés uns dos outros para depois participar da ceia, certo? Mas lava-pés é o nome popular de uma formiguinha muito agressiva que ataca aos milhares e pica doído de verdade. Sabe aquelas discussões entre pessoas menos educadas, quando uma delas diz “o que vem de baixo não me atinge” e a outra logo responde “então senta em cima de um formigueiro pra ver”, faz sentido. Quem fala isso se reporta ao formigueiro da formiga lava-pés. Se alguém descuidadamente pisar num formigueiro em questão de segundos estará com o pé quase coberto de minúsculas formiguinhas picando desesperadamente. As famosas lava-pés são frequentes nos jardins, nas bordas da calçada e até dentro das casas. As pessoas quando picadas reclamam de ardência no local e em seguida surgem bolhas de água, de linfa. Pessoas muito alérgicas ao serem picadas pelas lava-pés podem sofrer de taquicardia, um edema de glote onde fica difícil respirar e em casos mais severos pode haver um choque anafilático e se não houver um pronto atendimento médico a pessoa pode morrer pelo ataque de uma simples formiguinha, a famosa lava-pés. Dizem que as formigas são os animais que mais existem no mundo. Só na Floresta Amazônica, se for delimitado um quadrado de 100 metros² mais de 8 milhões de formigas seriam encontradas dentro do quadrado. Mais de 12.000 espécies já são conhecidas, estima-se que muito mais ainda serão conhecidas, talvez umas 20.000 espécies. Mas as formigas não são apenas más, elas também têm seu lado positivo: Favorecem a aeração do solo, polinizam plantas, predam outros insetos, pragas como pulgões, e transportam sementes para dentro do ninho para se alimentar e eventualmente algumas germinam e nascem novas plantas.

A curiosidade da lava-pés é que nunca apenas uma pica, geralmente são dezenas e até centenas delas ao mesmo tempo, um verdadeiro trabalho em grupo, em equipe. Se um animalzinho tão insignificante como uma formiga lava-pé consegue trabalhar em equipe, por que nós temos dificuldade de nos associarmos aos outros para produzir mais e melhor? Seria nosso orgulho que nos impede de vivermos em sociedade, em união? Ou porque somo exclusivistas, só nós, os outros não, eu tenho que dar conta, eu me viro, deixa comigo que eu resolvo. Viver em sociedade é uma arte e felizes são os que aprendem essa arte de viver bem com todos.

Os comentários estão encerrados.