Meditação diária de 11/11/2018 por Flávio Reti
11/11/2018
Meditação diária de 13/11/2018 por Flávio Reti
13/11/2018

Meditação diária de 12/11/2018 por Flávio Reti

12 de novembro

Pita (Pitta guajana)

Gálatas 6:2   “Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo”

No nordeste do Brasil pita é uma planta de cuja fibra se faz cordas. Mas Pita é também uma ave de origem asiática, especialmente da Indonésia. Todas as espécies de pita, em número de vinte e cinco, têm essa plumagem colorida de diversas cores e muito bonita. Repare que ela tem uma máscara negra cobrindo do bico até a nuca, parecendo a máscara do Zorro, nos filmes. Ela quase não tem cauda porque é muito curta. É uma ave que passa a maior parte de sua vida no chão, mas são aves migratórias e podem percorrer grandes distâncias, de um país para outro. Elas são muito gulosas e se alimentam de insetos e vermes que encontram pelo chão no meio de folhas mortas e parra isso elas dispõem de um bico muito forte e pontudo. Quando não é época delas se reproduzirem, elas vivem solitárias. Na época da postura de ovos, elas fazem seus ninhos bem precários de galhos e ciscos, mas com uma certa engenharia em forma de um túnel e lá no fundo o berçário. E na hora de chocar o senhor Pita e a senhora Pita são muito cooperadores e se revezam. Alguns pássaros para se locomover pulam e vão pulando, como faz o nosso pardal, mas há outros que andam, como faz os pombos, o joão-de-barro. A pita é daqueles que pulam como o pardal.

A qualidade das aves pita que me chamou a atenção é a colaboração entre ele e ela na hora de chocar os ovos, que são em número de 3 a 5 em cada postura. Se há colaboração entre as aves dessa espécie que nada sabem a respeito de camaradagem, de colaboração, de ser simpático, de ajuda ao próximo, de altruísmo, por que não existe mais colaboração entre os homens? O mundo está cada dia mais se tornando um local difícil para se viver, por causa dos homens e mulheres que estão nele. As pessoas estão se tornando egoístas, individualistas, só pensam em si, nada de ajudar ninguém, nada de colaboração. O mundo é de todos, dizem elas, e cada um por si. É assim que a humanidade está se vendo hoje. Inclusive dentro do próprio cristianismo. Antigamente as visitas que chegavam sempre ficavam para jantar e dormir, hoje elas são atendidas no portão e dispensadas. Se quiser comer, procure um restaurante, se quiser dormir, procure um hotel, enquanto nós nos prendemos dentro de casa e sequer pomos a cara pra fora para atender alguém que toca a campainha. O mundo está se estreitando, o espírito santo está realmente se retirando da terra. O mundo está amadurecendo para a volta de Jesus e cada dia mais perto da sua destruição. A ave pita nos lembra disso.

Os comentários estão encerrados.