Meditação diária de 11/01/2018 por Flávio Reti
11/01/2018
Comentários da Lição 2 (1o Trim/2018) por Pr Sérgio Monteiro e amigos
12/01/2018

Meditação diária de 12/01/2018 por Flávio Reti

12 de janeiro

A Baleia (Balaenoptera physalus)

II Crônicas 7:14   “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar e buscar a minha face e se desviar dos seus maus caminhos, então, eu os ouvirei do céu e perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra”

Quando o leigo fala em baleia, ele normalmente não sabe fazer diferença entre baleia azul, branca, orca, jubarte, beluga, bicuda. Também não sabe que o macho se chama caxaréu e que o filhote se chama cachalote. Ele sabe que se trata de uma baleia, mas, como há várias, todas são baleias para ele. Frequentemente ouvimos dizer que apareceu uma baleia morta ou encalhada na praia tal, assim e assim, mas ninguém diz qual, sempre diz apenas uma baleia. Bem, Que a baleia é um animal enorme, que tem muita força na cauda, que respira por pulmões, que tem as narinas no alto da cabeça, que é um animal mamífero, todo mundo já sabe. Mas pouca gente sabe da sua capacidade aguçada de audição. Aliás, elas emitem sons agudos mesmo debaixo da água. Seus gritos, que mais parecem um gemido, servem para se comunicarem e para se localizarem entre os membros da mesma espécie. Elas, apesar de serem tão grandes, vivem pouco tempo, ao redor de uns 30m anos em média.

A audição é o sentido mais importante das baleias. Elas ouvem com perfeição os sons ao seu redor. Que contraste, quando lembramos que os seres humanos, que se arrogam de tanta inteligência, não dão ouvidos à voz de Deus. Quando Deus falou, no Sinai, a terra tremeu e o povo temeu. Hoje, ainda que caiam os céus, o povo não dá ouvidos, se fazem de surdos. O Espírito Santo tem insistido com os homens para que deixem seus maus caminhos e se voltem para Deus, mas estes não ouvem. Seria o caso de sermos mais deficientes auditivos do que uma remota baleia esquecida no fundo dos mares? Chegara o dia em que a trombeta de Deus ressoará e até os mortos em Cristo a ouvirão (I Tes. 4:16) e os que ouvirem ressuscitarão incorruptíveis para herdar a vida eterna. Se não ouvimos hoje a voz de Deus, provavelmente não a ouviremos na sua vinda e se não a ouvirmos, com certeza, não ressuscitaremos para a vida eterna. A baleia, um bronco animal, pode nos ensinar alguma coisa: ouvir a voz de Deus falando a nós.

Os comentários estão encerrados.