Meditação diária de 06/06/2018 por Flávio Reti
06/06/2018
Sul-americano atuará como secretário associado na sede mundial adventista
07/06/2018

Meditação diária de 07/06/2018 por Flávio Reti

07 de junho

A formiga Quem-quem (Iridomyrmex purpureus)

I João 2:4   “Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso e nele não está a verdade”

A quem-quem é um dos tipos de formiga cortadeira, pouco menor que a saúva, mas muito trabalhadeira. Elas conseguem numa única noite pelar uma árvore inteira e no dia seguinte o proprietário só encontra as varas sem uma única folha verde. Elas fazem ninhos superficiais em uma única panela (panela é o nome dado ao ninho das formigas) enquanto a saúva faz vários buracos no chão e com várias panelas ligadas entre si por canais subterrâneos. A quem-quem corta as folhas e carrega para dentro do formigueiro não para comer, mas para alimentar um fungo que elas cultivam como se fossem vaquinhas de leite para elas. Os fungos produzem uma secreção que serve de alimentos para as formigas. Quando as quem-quem atacam, elas pelam tudo, não sobra uma planta sequer, mas na inocência delas, elas estão trabalhando honestamente para sobreviver. O homem que mal as interpreta e quer acabar com elas, destruindo o formigueiro, pondo fogo, podo veneno, e fazendo qualquer coisa para matar as pobres e trabalhadoras quem-quem. Todos os anos, as formigas cortadeiras, em destaque a quem-quem, são responsáveis por grandes prejuízos nas lavouras do setor agrícola brasileiro. Elas dão prejuízo sério, chegando a dizimar uma plantação inteira. Pode ser soja, feijão, milho, até o pasto das vacas elas dizimam tudo.

Pobres formigas, na sua inocência, elas estão trabalhando para o bem comum do formigueiro. Até se parecem muito com as pessoas que acham que estão fazendo tudo certinho, mas por alguma razão estão cometendo grande erros na vida. A ignorância não justifica nossas ações malévolas. Somos pessoas inteligentes, e não formigas sem cérebro, e portanto, temos o dever de saber o que estamos fazendo. Especialmente diante de Deus, a ignorância não vai justificar nossa recusa de aceitá-lo como nosso salvador pessoal. As pessoas muitas vezes argumentam dizendo que “a minha consciência não me acusa”, mas convém saber que a consciência nunca foi um guia seguro para ninguém. As quem-quem estão, na concepção delas, trabalhando honestamente, mas estão dando um enorme prejuízo aos agricultores, assim também nós, achamos que estamos fazendo um excelente trabalho quando estamos pondo nossa vida e a da nossa família a perder pela nossa ignorância. Nossa consciência e a nossa concepção de vida podem nos enganar e daí, só Jesus para nos fazer ver claramente nossos caminhos.

Os comentários estão encerrados.