Meditação diária de 06/08/2018 por Flávio Reti
06/01/2018
Meditação diária de 08/01/2018 por Flávio Reti
08/01/2018

Meditação diária de 07/01/2018 por Flávio Reti

07 de janeiro

O antílope (Antilope cervicapra)

Atos 20:20   “Como não me esquivei de vos anunciar coisa alguma que útil seja, ensinando-vos publicamente e de casa em casa”

Embora a palavra antílope seja o nome de um animal, aqui pra nós no Brasil, na verdade é a designação de um grande grupo de mamíferos que estão entre os bovídeos. Pra você entender melhor, é o grupo onde encontramos os veados, a gazela, o impala, os cervos, os gnus. Normalmente são animais que tem sua maior força nas patas traseiras com as quais consegue imprimir grande saltos e grandes velocidades, de 70 a 100 quilômetros por hora, para fugir de predadores. Todos eles possuem chifres, alguns com o formado de um galho seco e por isso, um deles, no Brasil, é chamado de veado galheiro. O antílope é um dos animais mais belos, de imponente elegância, gracioso e rápido.

É comum você encontrar nas vitrines das lojas bolsas e malas com a etiqueta: Couro de antílope. Isso devido ao animal oferecer muitas utilidades ao ser humano. Ele serve de alimento por causa de sua carne saborosa, inclusive há criadouros dedicados ao antílope para fins comerciais. O couro se presta para fazer bolsas, malas, sapatos e cintos. Na natureza, ele é muito caçado pelos nativos para alimentação e pelos caçadores insensíveis simplesmente por esporte. Nas casas de fazenda é comum vermos na parede uma cabeça de antílope seca e tratada com verniz para embelezar a sala e dar ares de que ali mora, ou morou, um caçador implacável.

Mas a lição que um antílope nos deixa é aquela da utilidade. Dura coisa será para nós, depois de termos vivido quase toda a nossa vida, olharmos para trás e vermos que fomos inúteis, nada produzimos, nada fizemos de útil para a humanidade. Nossa passagem pela vida não fez diferença, passou em branco, nada deixamos para a posteridade que alguém possa dizer no futuro: Devemos isso ao nosso …. (Pai, irmão, amigo, professor, prefeito), que foi uma pessoa útil à nossa comunidade. Infelizmente, há pessoas que passam pela vida e se vão sem deixar sequer saudades para os parentes. O antílope, ainda que caçado impiedosamente, depois de morto nos deixa a carne como alimento, muitos artigos de couro, relíquias nas paredes e uma história com um relato de luta pela vida.

Se você não conseguiu ver nada de bom neste devocional que usou o antílope como motivo, tente pensar na sua própria utilidade na vida. Talvez você deixe para a posteridade uma história diferente.

 

 

Os comentários estão encerrados.