Comentários da Lição 1 (1o Trim/2018) por Pr Sérgio Monteiro e amigos
05/01/2018
Meditação diária de 07/01/2018 por Flávio Reti
07/01/2018

Meditação diária de 06/08/2018 por Flávio Reti

06 de janeiro

A Anta (Tapirus terrestres)

Apocalipse 3:11   “Venho sem demora. Guarda (conserva) o que tens para que ninguém tome a tua coroa”

A anta é o maior mamífero silvestre das terras brasileiras. Ela chega a 2 metros de comprimento e chega a pesar 250 quilos. Ela se parece com os elefantes por causa da sua pequena tromba, mas na verdade ela é classificada na família dos rinocerontes e cavalos. Ser chamado de anta, aqui no Brasil, soa como um xingamento, mas apesar da fama, as antas são animais muito espertos, dóceis e úteis. Nenhuma delas está destruindo seu habitat como faz o homem. Elas desempenham um papel importante na conservação dos biomas brasileiros como na Amazônia, no Pantanal, no Cerrado e na Mata Atlântica porque elas se alimentam de frutas inteiras, com caroço e sementes, e depois de percorrer longas distâncias, elas depositam por onde passam, depois da digestão, os caroços e sementes já com adubo natural. As antas são tão especiais que elas ajudaram a abrir algumas das estradas do Brasil, acredite! Os povos indígenas e os bandeirantes se valiam das trilhas abertas na mata pelas antas e na sequência essas trilhas viraram estradas usadas ainda hoje. Os índios brasileiros a chamavam de Tapir e esse nome a gente encontra em várias obras da literatura brasileira.

Das qualidades da anta, uma delas se destaca. Ela é conservacionista. Ela planta árvores por onde passa e assim conserva o bioma nacional. Quando nós vemos o ser humano destruindo o planeta, nossa terra, chegamos a pensar que o homem é menos inteligente do que uma anta. O xingamento que se dirige em nome da anta deveria ser dirigido aos homens pela sua insensatez de destruir o ambiente em que vive. Não é a anta que está destruindo, é o próprio homem, ela é conservadora. Ela não destrói as plantações, como fazem os macacos, não destrói as florestas, como fazem os elefantes que chegam a arrancar árvores inteiras na sua fúria.

Uma outra característica das antas é que elas são tolerantes a altas temperaturas do ambiente. Elas suportam bem o calor de 30 a 40 graus na natureza das florestas. A tolerância é uma característica bem-vinda para nós, seres humanos. Com pouca coisa nós já nos exasperamos e fazemos tempestade num copo de água. Se um animal consegue ser tolerante, e nunca alguém relatou um briga entre as antas, por que nós nem sempre conseguimos ser pacíficos e tolerantes? Deus criou a anta, talvez, para nos dar algumas lições: docilidade, tolerância, ambientalista, pioneirismo e outras. De hoje em diante, se alguém o chamar de anta, não se exaspere, é um elogio ser uma anta a ser um humano desmedido.

Os comentários estão encerrados.