Participe da redação das Meditações de Pôr-do-Sol para 2019
04/07/2018
Culto Divino com Pr. Georges Homsi Mora – 07/07/18
05/07/2018

Meditação diária de 05/07/2018 por Flávio Reti

05 de julho

A cracatua (Cacatua galerita)

Efésios 5:1   “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados”

As cracatuas são aves que chegaram até nós trazidas da região da Oceania. Assim como o papagaio, ela tem o bico curvo e forte cuja bicada dói muito porque chega a cortar. Também aprendem a falar e ficam muito mansinhas convivendo na família e comendo na mesa. Reconhece o dono, ou o tratador e faz festa quando ouve que ele chegou ou ela o viu passando. Devido aos cruzamentos, há uma infinidade de cores diferentes, mas todas elas trazem como marca indestrutível uma mancha vermelha na cara e um topete arrepiado que elas gostam que a gente coce. Ela tem a habilidade de pegar a comida com os pés e levá-la até o bico ou usar os pés para escalar e subir. Já tive uma que aprendeu a assoviar o hino “Breve virá” e todas as manhãs ela acordava primeiro que todos da casa cantando o hino. Ela aprecia muito, especialmente no calor, um borrifo de água para se refrescar. É quase impossível não se apaixonar pela ave com estilo “moicano”. Aquele penacho que lhe dá o estilo moicano fica eriçado quando ela está namorando ou quando está alegre. As cracatuas arrancam de si as penas quando ficam estressadas pela ausência de seu dono, de seu tratador. Além de aprender falar algumas frases curtas e palavras, elas podem produzir diferentes tipos de sons, além de aprender truques e brincadeiras e são até dançarinas engraçadas.

Estamos gostando da leitura porque as cracatuas são aves que imitam outras aves e a voz das pessoas, mas imitar, quando tem a ver com o ser humano, não é uma coisa muito engraçada. As pessoas devem ser autênticas, nunca imitadoras de alguém. Tive um colega que imitava muito bem o pastor Roberto Rabelo e até ganhou o apelido de Rabelo. Nuca deveríamos viver à sombra de alguém mais, mas ser nós mesmos, com nossa personalidade, com nossos defeitos, com nossas habilidades, contanto que sejamos nós mesmos e nunca cópia de alguém. Deus nos fez distintos, não existe um outro igual a você ou igual a mim e Deus nos ama assim do jeito que somos. Pior ainda é quando submetemos nossa mente à mente de outrem, permitindo que ele pense por nós. É uma grande falta de personalidade, logo, é alguma coisa para pensarmos seriamente. Eu sou eu, você é você e ponto final. Não há uma razão lógica para imitarmos alguém na personalidade, no caráter, na vida em geral, porque somos únicos diante de Deus.

Os comentários estão encerrados.